Cleópatra foi uma estadista da civilização mais duradoura que já existiu

Rapidamente, sobre Cleópatra. Aliás, qual? Obviamente, Cleópatra VII, porque quase ninguém se lembra que antes dela tiveram outras seis. Todas foram parentes (irmãs, esposas, primas ou tias) dos faraós da família dos Ptolomeus, que eram gregos que passaram a governar o Egito após a morte de Alexandre, o Grande.

Cleópatra VII, portanto, foi a última rainha do Egito antes da conquista romana. Injustamente, chama-na de “imoral” por ela ter seduzido os romanos Julio César e Marco Antônio. Prefiro chamá-la de estadista. Afinal, ela usou as ferramentas que tinha em mãos para tentar construir um império que seria a junção do Egito com Roma, preservando a soberania egípcia.

Cleópatra foi uma estadista da civilização mais duradoura que já existiu

Cleópatra levou César para conhecer os templos e monumentos do Antigo Egito. César ficou fascinado pela grandeza dos faraós. Cleópatra contou-lhe que um faraó era um deus. César queria se tornar deus.

Adorado pelo povo e temido pelo senado, César retornou a Roma. Cleópatra inaugurou um templo à Deusa Ísis em pleno Fórum Romano. Os senadores de Roma passaram a conspirar contra César, espalhando a notícia de que ele era um homem submisso a Cleópatra. Ao entrar no senado, César foi esfaqueado por todos os golpistas, inclusive por seu melhor amigo, Brutus. Cleópatra, grávida, teve de fugir.

No senado, na disputa pelo legado de César, Otaviano declarou guerra a Marco Antônio, que se aliou a Cleópatra. Numa fatídica batalha naval, a esquadra de Cleópatra e Marco Antônio foi derrotada pela de Otaviano. Marco Antônio foi morto e Cleópatra foi capturada. Para não ser enjaulada e apresentada como troféu de guerra, Cleópatra preferiu o suicídio através de uma picada de cobra naja.

No ano 33 aEC, o Estado Faraônico, que durara 3,1 mil anos, caía para nunca mais se reerguer. Foi a mais duradoura civilização que existiu. Hoje, só uma civilização pode alcançar o Egito: a China, desde que ela dure mais mil anos. Há que destacar que o Antigo Egito é tão antigo que Cleópatra está mais perto de nós, no tempo atual, do que da construção das pirâmides.

Provavelmente, se Cleópatra tivesse vencido, a Europa jamais teria se cristianizado. Se o Egito tivesse assumido o papel de Roma, em vez de se cultuar a Virgem Maria na Europa, cultuar-se-ia Ísis.

O primeiro imperador romano foi Otaviano, renomeado como Otávio Augusto. O sonho de César de se tornar deus foi executado por seu sobrinho. Roma só pôde expandir seu império graças à incontável produção de trigo e cevada do Egito. As tradições culturais egípcias permaneceram vivas até que o imperador Teodósio impôs o cristianismo. Mas isto é uma outra história…

Por Thomas de Toledo

1 Comentário

Deixe uma resposta