O Dragão do Mar, o herói abolicionista do Ceará

Conhecido como o Dragão do Mar, Francisco José do Nascimento enfrentou o sistema escravagista do Ceará, contribuindo, de forma decisiva, para colocar ponto final na história da escravidão cearense.

Francisco José do Nascimento, nasceu em 1839, em Canoa Quebrada, no Ceará. Neto de pessoas escravizadas, desde cedo passou a trabalhar como jangadeiro, onde fez sua carreira, até chegar na posição de prático(condutor da jangada).

A seca que assolou o Ceará, entre os anos de 1877 e 1879, desorganizou a produção do estado e matou de fome, de varíola e de cólera mais de um quarto da população.

Não podendo manter seus escravizados, os proprietários Cearenses passaram a vende-los para grandes produtores de café em São Paulo. Para cumprir o contrato de venda os escravos eram embarcados no Porto para chegar até os Estado do Sudeste.

Foi nesse cenário que Francisco José se destacou pela sua coragem de enfrentar poderosos. Como era um jangadeiro conhecido, e liderava muitos dos práticos e demais funcionários de barcos atracados no porto, ele organizou um boicote contra os donos de escravos, se recusando a embarcar as pessoas escravizadas. Em poucos dias muitos conterrâneos aderiram ao movimento abolicionista e passaram a dormir no Porto, e pressionar navios que se disponham transportar os cativos. Não era raro ver Francisco saindo na mão com policiais e liderando grupos para sabotar embarcações que não aderiam ao movimento.

Desesperados, os proprietários Cearenses entraram na justiça e Francisco foi chamado em juízo para prestar explicações. Desfilando em uma das principais ruas de Fortaleza, o Dragão do Mar arrastou uma multidão de pessoas na frente da porta do Fórum. A prensa do judiciário em Francisco só aumentou mais ainda as manifestações e o nojo da população em relação à escravidão.

A pressão aumentou e o chefe da província declarou fim da escravidão de pessoas no estado cearense.

Até hoje o Dragão do Mar é lembrado como um grande herói e um exemplo de que enfrentar poderosos não é impossível.

Por Joel Paviotti – Iconografia da História

Dragão do mar, abolicionista do Ceará

1 Comentário

  • Esta ai um grande heroi vitorioso, conseguiu sem matar ninguém, apenas com sua revolta abolir a escravidão no Ceará que sem nenhum duvida acelerou o 13 de maio de 1888,ao inves de fazer feriado a um homem intransigente,que prefeiru a luta armada, que escravilizou seres humanos e matou como foi Zumbi dos Palmares,onde a esquerda brasisleira comparou historiacamente a um Che Guevara, que discursou na ONU “Fuzilamos, e iremos fuzilar”

    0

    0

Deixe uma resposta