JONES MANOEL: O marxismo precisa morrer

O marxismo precisa morrer para não ser problema fazer propagandas empoderadas para empresas que tem trabalho escravo e recordes de denúncias de violações trabalhistas.

O marxismo também precisa morrer para abraçar sem problemas chefes de Estado que representam uma nação com um dos piores históricos de colonialismo contra África e Ásia. Aliás, esse mesmo chefe de Estado, até hoje, é gestor de uma política neocolonial direta contra vários países africanos.

O marxismo precisa morrer para fazer propaganda a vontade para o banco Itaú. O mesmo que, dentre outras coisas, é um dos organizadores privados de políticas como a UPP no Rio de Janeiro.

O marxismo precisa morrer para fazer do “ativismo” uma espécie de carreira de celebridade e tornar essa carreira um produto vendável. E vender esse produto em todos os espaços possíveis – tipo desfiles de moda.

Não se iludam. Odeiam o marxismo porque ele tem a intenção de tratar política como militância e não como ativismo da moda que rende dinheiro. Muito dinheiro.

Mas eu não posso falar de dinheiro. Não tenho lugar de fala para isso.

1 Comentário

  • Bom, o “marxismo” que precisa compartilhar o mesmo espaço com duguinista não precisa morrer, já está morto e prontinho para ser devorado.

    0

    0

Deixe uma resposta