O jornalismo como arma de guerra: a BBC e a Coreia Popular

Dias atrás eu critiquei um sujeito que afirmou que confia mais na BBC do que na Revista Opera. Vamos observar em detalhes como a BBC Brasil faz jornalismo quando o tema é a Coreia Popular.

O país, como é do conhecimento de quem acompanha, vive um boom na construção civil. Recentemente, foi inaugurada uma cidade planejada modelo para moradores e atrair turistas.

A BBC, logo no começo da matéria, diz “os jornais oficiais ligados ao governo do país estão chamando de “epítome da civilização moderna””.

Quais são o nome dos jornais? Tem o link na matéria? Não, não tem. Aqui a crença é que o leitor vai acreditar nessa “informação” sem fonte com base apenas nos estereótipos que rondam o país.

Em seguida a BBC afirma que “há relatos de que a construção de Samjiyon foi feita com uso de trabalho forçado”.

Relato de quem? A partir de que estudos? Com que provas? De novo, uma “informação” vaga, especulativa e sem fonte.

Depois de insinuar trabalho escravo, diz a BBC

“Mesmo que a cidade esteja à altura do que a propaganda estatal dizer ser, ela será uma exceção na Coreia do Norte, onde a maioria das pessoas vive na pobreza.”

Cadê as provas dessa afirmação? Cadê um estudo comparativo da arquitetura e infraestrutura urbana do país? Por qual motivo não tem um link de um estudo sustentando essa afirmação? Especulação novamente.

No parágrafo seguinte, afirma a emissora britânica

“De acordo com a organização não-governamental Comitê Nacional da Coreia do Norte, “muitos sofrem com falta de comida, combustível, eletricidade, água corrente e outras necessidades básicas.”

De onde é essa ONG? Qual sua base para afirmar isso? Onde tá a pesquisa? E muitos? Muitos quantos? Tipo, no Brasil, muitos também sofrem com falta de água, comida, eletricidade.

Em seguida a BBC especula sobre quando começou a construção da cidade modelo. Afirma o seguinte, “A imprensa estatal afirmou no passado que mais de 450 prédios seriam reconstruídos, incluindo imóveis industriais e de lazer.”

Cadê a fonte dessa suposta afirmação da imprensa local?

Segue a matéria, e de novo, a BBC afirma que “Também há indícios de que trabalho forçado foi usado para o término do projeto”.

Que indícios? Baseado em que provas indiciárias? Qual o fundamento para afirmar isso?

Depois dessa afirmação, segue quatro parágrafos de um “especialista” afirmando que trabalhos forçados são comuns no país. Provas? Zero.

Termina a matéria citando supostos trechos do discurso de Kim Jong-Um na inauguração da cidade. Novamente, não cita uma fonte para o leitor conferir o discurso.

É um típico jornalismo de guerra. Não atende aos critérios mínimos de construção de uma notícia. Se um estudante de jornalismo escrevesse uma matéria assim na faculdade, teria fortes chances de ser reprovado.

– Sem fontes
– Sem checagem de informações
– Afirmações genéricas e imprecisas
– Citação de “especialistas” e ONGs sem referência onde podemos ler mais
– Citação de supostos discursos oficiais sem fonte

Isso merece credibilidade?

Aliás, seria neostalinismo perceber que essa matéria, assim como 99% do que sai sobre a Coreia Popular, é puro lixo sem o mínimo de qualidade jornalista e baseado no paradigma anticomunista de 1984, orientalismo e racismo?

A matéria da BBC: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-50649303?

Jones Manoel :Professor de história, dono do canal Jones Manoel no Youtube, e militante do PCB - https://www.youtube.com/channel/UC02coXfDPjEmU8uDT2G8Z2A/featured