Wellington Calasans entrevista Carlo Carrenho – Livros, audiolivros, leitores e editores

É inegável que a leitura é libertadora. No entanto, diante de tantas opções, lançamentos e publicações diárias as pessoas sabem o valor dessa liberdade? Carlos Drumond de Andrade, em uma das suas brilhantes citações, afirmou que “a leitura é uma fonte inesgotável de prazer mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede.”

Entrevistei o economista e consultor do mercado editorial, Carlo Carrenho, para saber mais sobre mitos e verdades dos livros, audiolivros e preferências dos leitores. Livro de autoajuda é o mais procurado ou o mais escrito? O audiolivro vai substituir o livro de papel? Como funciona o mercado russo? Há censura por lá? Estes são alguns dos temas abordados na entrevista.

Com uma certa dificuldade de trazer o tema para a realidade brasileira, pois nunca é demais lembrar que as habilidades de leitura e compreensão de texto no Brasil seguem estagnadas há duas décadas, de acordo com os mais recentes dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes 2018 (Pisa, na sigla em inglês), busquei extrair do Carlo Carrenho as melhores informações sobre este mercado pouco debatido ultimamente.

P.S.: Por honestidade junto ao público do Portal Disparada, informo que Carlo Carrenho é meu amigo e que a entrevista foi feita na minha casa, em Estocolmo.

Veja a entrevista:

Deixe uma resposta