VAZA-JATO: Barroso recebeu Moro e Dallagnol em jantar secreto

Pelo segundo dia seguido, Reinaldo Azevedo faz reportagem da Vaza-Jato com novos diálogos entre o ex-juiz Sérgio Moro e o coordenador da Lava-Jato, o procurador Deltan Dallagnol. Dessa vez, o vazamento envolve o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, defensor intransigente do ativismo judicial, da judicialização da política, e dos abusos da Lava-Jato.

Em diálogos anteriores, Moro havia comemorado conversas inadequadas relatadas por Dallagnol com outro ministro do Supremo, Luiz Fux, com a notória frase: “In Fux  we trust”. Depois, Dallagnol também comemorou conversa com o relator da Lava-Jato no STF, Edson Fachin: “Aha Uhu o Fachin é nosso“.

Essa semana houve novos vazamentos que mostram as articulações de Dallagnol e o outro procurador da Lava-Jato, Roberson Pozzobon, para lucrar ilegalmente através de palestras. Hoje, o Conselho Nacional do Ministério Público abriu novo (um anterior foi arquivado) inquérito para investigar as ilegalidades nas palestras da Lava-Jato. Além disso, ontem, Reinaldo Azevedo também mostrou envolvimento de Moro com Dallagnol na tentativa de usar dinheiro da 13ª Vara ilegalmente em publicidade da Lava-Jato.

Hoje, o vazamento atinge o STF mais uma vez, e não apenas por citação indireta. Há uma mensagem do ministro Barroso. De início, Moro e Dallagnol conversam sobre convite de Barroso para um jantar na casa do ministro.

Sérgio Moro: “Está confirmado o jantar no Barroso?”

Deltan Dallagnol: “Ele acabou de confirmar. Estou adiantando meu voo porque terça estarei na comissão especial. Boa reunião amanhã c eles!!”

Sérgio Moro: “Obrigado. Preciso do endereço e horário do jantar”

Deltan Dallagnol: “Não tenho ainda tb… passo assim que ele indicar…”

Deltan Dallagnol: “Lembrando que ele é carioca… talvez tenha convidado e não passe o endereço mesmo kkkk”

Sérgio Moro: “Boa”

No mesmo dia, Dallagnol encaminha mensagem de Barroso para Moro confirmando o jantar e pedindo “máxima discrição”.

Luís Roberto Barroso: “Caros Deltan, Moro, Oscar, Caio Mário e Susan: Tereza e eu teremos o imenso prazer em recebê-los para um pequeno coquetel/jantar em nossa casa, no dia 9 de agosto próximo, 3ª feira, às 20:30, em honra dos participantes do evento “,Democracua, Corrupção e Justiça: Diálogos para um País Melhor”. Será uma reunião em traje casual, com a presença limitada aos organizadores do evento, o que inclui membros da minha assessoria e poucos dirigentes do UniCEUB. Com máxima discrição. Na medida do possível, desejamos manter como um evento reservado e privado. Estamos muito felizes de tê-los aqui. Nosso endereço é [TRECHO OMITIDO]. Nosso telefone é [TRECHO OMITIDO]. Deltan tem tem meu telefone e pode ligar em qualquer necessidade. Abraços a todos. Luís Roberto Barroso.”

Além disso, há mais um diálogo que indica a relação promíscua entre julgador e acusador. O juiz e o procurador, como já fartamente demonstrado pelos vazamentos anteriores, atuavam em conjunto contra os réus, tinham estratégias coordenadas, e inclusive discutiam táticas midiáticas. O apresentador da Globo, Fausto Silva, o Faustão, chegou a confirmar que deu dicas sobre comunicação para Moro que as repassou por mensagens a Dallagnol.

Dessa vez, o juiz pergunta ao procurador como havia sido sua participação no programa de entrevistas de Jô Soares, e este transmite o recado de que Jô queria que Moro também fosse ser entrevistado. Dallagnol ainda diz que misturou “conteúdo com entretenimento”.

Sérgio Moro: “Como foi no Jô?”

Deltan Dallagnol: “Ele quer que Vc vá, e seria bacana Vc ir… só não sei o timing rs. Da vez anterior que fui, eu fui mais no conteúdo. Nessa vez, tentei mesclar conteúdo com entretenimento e acho que o resultado foi bacana….”

Confira a íntegra da matéria no blog do Reinaldo Azevedo.

Deixe uma resposta