VAZA-JATO: Moro e Dallagnol combinaram usar dinheiro da 13ª Vara ilegalmente

Reinaldo Azevedo acaba de divulgar mais um capítulo da Vaza-Jato em parceria com o The Intercept, em reportagem assinada conjuntamente com Leandro Demori. Nessa revelação de novos diálogos, Sérgio Moro e Deltan Dallagnol aparecem combinando usar dinheiro da 13ª Vara ilegalmente para fins privados de publicidade.

Dallagnol consultou Moro se seria possível usar dinheiro de depósitos judiciais ou multas obtidos nos processos na 13ª Vara, para pagar publicidade na Globo a favor das 10 Medidas Contra a Corrupção. Moro disse que verificaria e em seguida respondeu afirmativamente. O uso desse dinheiro gerido pelo Judiciário para fins privados é ilegal.

Deltan Dallagnol: “Vc acha que seria possível a destinação de valores da Vara, daqueles mais antigos, se estiverem disponíveis, para um vídeo contra a corrupção, pelas 10 medidas, que será veiculado na globo?? A produtora está cobrando apenas custos de terceiros, o que daria uns 38 mil. Se achar ruim em algum aspecto, há alternativas que estamos avaliando, como crowdfunding e cotização entre as pessoas envolvidas na campanha.”

Deltan Dallagnol: “Segue o roteiro e o orçamento, caso queria [buscou escrever “queira”] olhar. O roteiro sofrerá alguma alteração ainda”

Deltan Dallagnol: “Avalie de modo absolutamente livre e se achar que pode de qq modo arranhar a imagem da LJ de alguma forma.”

Em seguida, o procurador enfia dois arquivos pdfs com as especificações da empresa sobre a publicidade. No dia seguinte, Moro responde: “Se for so uns 38 mil achi [quis escrever “acho”] que é possível. Deixe ver na terça e te respondo.”

A reportagem de Reinaldo Azevedo e Leandro Demori juntou os anexos enviados por Dallagnol a Moro mostrando o roteiro e orçamento da publicidade.

Ontem, domingo, dia 14 de julho, a Folha havia revelado novos diálogos mostrando as articulações de Dallagnol com o outro procurador, Roberson Pozzobon, para lucrar com palestras usando familiares como laranjas. Já havia uma investigação sobre isso no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que foi arquivada. No entanto, com as novas revelações, ministros do STF ironizaram a decisão do CNMP, que diante das revelações, deve voltar a analisar o caso. Além disso, a Procuradora Geral da República (PGR), Raquel Dodge, convocou Dallagnol para ir à Brasília se explicar.

Leia a íntegra da matéria no blog do Reinaldo Azevedo.

1 Comentário

Deixe uma resposta