VAZA JATO: Moro influenciou na negociação das delações

Na nova fase da Vaza-Jato, dessa vez em reportagem conjunta da Folha de São Paulo e do Intercept Brasil, são trazidas mensagens dos procuradores Deltan Dallagnol e Carlos Fernando. Dentre elas, na mais grave, fica clara a influência do então Juiz Sergio Moro nas negociações de pena dos executivos da Camargo Corrêa.

Vejamos o seguinte trecho:

Nessa mensagem, explicita-se que os procuradores federais conversaram com Moro sobre a negociações de pena em andamento.

Em seu twitter, o hoje Ministro da Justiça: defendeu-se:

Embora jogue para a plateia, Sergio Moro não abordou o essencial e sequer nega que tenha sugerido as penas.

E equivoca-se. O juiz realmente pode discordar dos benefícios acordados pelo Ministério Publico. Só que o momento para tanto sequer seria a homologação, mas sim a sentença, como já decidiu o Supremo Tribunal Federal no caso JBS.

Independentemente, as mensagens reveladas mostram que a discussão entre Juiz e procuradores federais ocorreu durante as negociações, o que é proibido pela Lei 12.850/13:

“§ 6º O juiz não participará das negociações realizadas entre as partes para a formalização do acordo de colaboração, que ocorrerá entre o delegado de polícia, o investigado e o defensor, com a manifestação do Ministério Público, ou, conforme o caso, entre o Ministério Público e o investigado ou acusado e seu defensor”.

Trata-se de mais uma ilegalidade revelada, no que parece ser uma ofensiva de reportagens do Intercept Brasil e seus parceiros contra as ameaças à liberdade de imprensa oriundas do governo e seus apoiadores.

Veja a íntegra da reportagem, clicando aqui.

3 Comentários

Deixe uma resposta