JONES MANOEL: Drauzio Varella descobriu a dependência!

Acabei de assistir a entrevista dele no Roda Viva. Desconsiderando o delírio de querer lançar esse sujeito para presidência, uma coisa me chamou atenção: intuitivamente, pois duvido que Drauzio conheça a Teoria Marxista da dependência, o médico entendeu um dos mecanismos fundamentais do domínio do imperialismo.

A certa altura da entrevista, ele diz que o Brasil não pode viver de importar tecnologia e remédios e comenta como os laboratórios, em sua quase totalidade de países centrais do capitalismo, impõe preços altíssimos para medicamentos e viver de apenas comprar esses produtos é inviável para qualquer país. O médico ainda questiona por qual motivo o Brasil, assim como a Índia, não tem uma potente indústria nacional de fármacos que produz os medicamentos sem depender dos laboratórios “internacionais” (a maioria da Europa e Estados Unidos).

Nessa simples reflexão, está contida algumas percepções:

A – a noção de que não existe “livre comércio” e que os monopólios, ao lado dos seus Estados imperialistas, impõe os termos de troca.

B – a dependência de tecnologias externas significa uma transferência de riqueza para fora e o empobrecimento da vida material do país.

C – ter capacidade de produzir nacionalmente coisas como remédios é uma questão de soberania nacional e, eu diria, de segurança de Estado – imagina um bloqueio econômico contra um país dependente na área de fármacos?

D – Temos plena capacidade de produzir isso nacionalmente.

Agora só falta Drauzio Varella atentar para o imperialismo, a razão última de não existir essa produção nacional, e saber da necessidade da Revolução Socialista para combater a dependência e o subdesenvolvimento.

Deixe uma resposta