Elon Musk: Viagem espacial, carros elétricos e o golpe na Bolívia

Elon Musk nasceu na África do Sul se mudou para os Estados Unidos e depois para o Canadá onde teve a oportunidade de estudar nas mais caras e prestigiadas universidades do planeta. Depois de terminar seu doutorado em Stanford, Musk foi desenvolver startups e já no começo dos anos 2000 era bilionário, quando vende a PayPal à Ebay por 1,5 bilhão de dólares.

Na atualidade, Elon Musk é um dos maiores concentradores de renda e riqueza do planeta, sendo que no dia de hoje sua fortuna está em quase 67 bilhões de dólares, valor bem superior ao PIB de vários países, como por exemplo a Bolívia. A mídia nos vende a imagem de Musk como um homem inovador, que teve uma ideia brilhante e por isso é justificável que ele tenha mais riqueza que o PIB de vários países. Mas Musk é realmente tão brilhante? Suas empresas são tão revolucionárias? E a que custo essa riqueza se constrói?

SpaceX e Tesla

Musk é CEO da SpaceX, uma empresa de sistemas aeroespaciais e de serviços de transporte espacial que tem um valor de mercado em 36 bilhões de dólares. A SpaceX tem o objetivo de no futuro oferecer turismo espacial para alguns ricaços, no entanto quem tem pagado grande parte dessa conta até agora são os trabalhadores estadunidenses, pois a SpaceX já recebeu bilhões de dólares em contratos preferenciais com o governo estadunidense e outros bilhões de dólares em subsídios governamentais. Isto é, sem falar que em seu acordo com o governo dos Estados Unidos, a empresa de Musk também terá acesso a todo o histórico e acúmulo tecnológico da empresa estatal aeroespacial NASA, bem como à sua equipe técnica e gerencial.

Para além da SpaceX, Elon Musk também é CEO da Tesla, uma empresa que no começo de julho chegou a 209,47 bilhões de dólares em valor de mercado, superando inclusive a prestigiada Toyota. A Tesla tem se protagonizado no cenário mundial por ser uma fabricante de carros elétricos. As vendas globais de veículos elétricos vem crescendo ano após ano, sendo que em 2019 foram vendidos cerca de 2,2 milhões de veículos desse tipo e a Tesla foi de longe a fabricante que mais vendeu carros elétricos no planeta. (TABELA 1)

FABRICANTE N° DE VEÍCULOS ELÉTRICOS VENDIDOS EM 2019
TESLA 367.820
BYD 229.506
BAIC 160.251
SAIC 137.666
BMW 128.883
VW 84.199
NISSAN 80.545
GEELY 75.869
HYUNDAI 72.959
TOYOTA 55.155

TABELA 1: Número de carros elétricos vendidos por fabricante em 2019.

Embora a Tesla tenha uma clara liderança nesse segmento de mercado, a Tesla tem uma receita bem menor que as outras fabricantes, isso porque o mercado de carros elétricos, embora tenha crescido muito nos últimos anos, ainda representa muito pouco em relação ao total de veículos vendidos. A Tesla tem se beneficiado muito do otimismo dos investidores, pois o valor de mercado da Tesla é extremamente alto, sendo hoje a fabricante de automóveis mais valiosa do planeta. Ou seja – em linhas gerais – quero dizer que aquilo que entra de dinheiro na empresa advindo da venda de carros é pouco se comparado com outras empresas automobilísticas e esse fato se torna extremamente relevante e preocupante visto o crescimento exponencial do valor de suas ações. (TABELA 2)

FABRICANTE VALOR DE MERCADO 

EM BILHÕES DE DÓLARES

RECEITA

EM BILHÕES DE DÓLARES

TESLA 209,47 24,58
BYD 17,2 102,6
BAIC 3.5 72,3
SAIC xxx xxx
BMW 38,9 104,2
VOLKSWAGEN 70,4 252,63
NISSAN 13,5 91,6
GEELY XXX 14,0
HYUNDAI 20,1 90
TOYOTA 178 278

TABELA 2: Receita e Valor de Mercado por Fabricante para o último ano disponível no Statista e na Forbes.

A Tesla tem uma receita que é somente 11,7% do seu valor de mercado enquanto que grandes empresas como a BMW tem uma receita que é quase o triplo do seu valor de mercado. Isso significa que os investidores esperam muito do futuro da Tesla e certamente vão pressionar a empresa para que ela atenda essas enormes expectativas.

A Tesla e o imperialismo

Para que os carros elétricos sejam tão eficientes quanto os veículos à combustão é necessário que as baterias tenham alta performance e para isso as baterias de lítio são ideais, principalmente por ser um metal leve. O lítio é capaz de armazenar uma maior quantidade de energia em espaços menores, garantindo uma maior autonomia aos veículos elétricos.

A Bolívia é o país com a maior reserva de lítio do planeta, seguida por Chile e Argentina. Esses três países formam o “Triângulo do Lítio”. (FIGURA 1)

A cobiça de Elon Musk Viagem espacial, carros elétricos e golpes de Estado

FIGURA 1: Países com maiores reservas de lítio.

Ou seja, juntando os fatos até agora, sabemos que temos uma empresa pressionada por vários acionistas para que entregue resultados e esses resultados dependem do lítio que em maior parte se encontra na Bolívia. Esse raciocínio agora se soma perfeitamente ao que Elon Musk – CEO da Tesla – disse em seu twitter em referência ao golpe sofrido por Evo Morales e sua política nacionalista de preservação dos interesses bolivianos: “Nós iremos golpear quem quisermos. Lidem com isso!”

O presidente Evo Morales – antes de ser golpeado – tinha uma política de agregar valor à cadeia de lítio no seu próprio país, onde chegou a desenvolver um carro elétrico nacional (FIGURA 2): “Pedimos à população que adquira e apoie a indústria boliviana, que é um orgulho”, afirmou Evo Morales. Ou seja, Evo queria que a riqueza do lítio boliviano servisse aos interesses do povo boliviano.

A cobiça de Elon Musk Viagem espacial, carros elétricos e golpes de Estado FIGURA 2 Carro elétrico boliviano desenvolvido no mandato de Evo Morales.FIGURA 2: Carro elétrico boliviano desenvolvido no mandato de Evo Morales.

Com isso em mente, agora veja a declaração do empresário boliviano Samuel Doria Medina, candidato a vice de Áñez – presidenta golpista da Bolívia – com a possível vinda da Tesla para a América do Sul: “uma gigante fábrica no Salar de Uyuni para fornecer baterias de lítio”.

Inclusive, o golpe sofrido por Evo Morales chegou menos de uma semana depois que Morales interrompeu o acordo de lítio com uma empresa multinacional alemã que explorava o lítio boliviano. Junto dessa ação, Morales escreveu: “O lítio da Bolívia pertence ao povo boliviano. Não às cabalas corporativas multinacionais”.

A multinacional agora em questão é a empresa ACISA, que tem como uma de suas principais clientes – ninguém mais, ninguém menos – que a Tesla.

Amarrando as pontas

O raciocínio que se propõe diante dos fatos apresentados é o seguinte: A Tesla é uma empresa de pouca receita e muito valor de mercado, portanto é uma empresa que cada vez mais é pressionada a entregar bons resultados para garantir os rendimentos de seus investidores. Para que a Tesla cumpra essa função, ela precisa de ótimas baterias para seus veículos elétricos. Essas ótimas baterias são feitas a base de lítio, que é majoritariamente encontrado na Bolívia. Não por acaso, o golpe ao nacionalista e progressista Evo Morales – feito pela direita boliviana, OEA (que até hoje não apresentou provas sobre as supostas fraudes nas eleições bolivianas) e Estados Unidos – veio poucos dias após Evo Morales ter suspendido a licença de uma empresa alemã que extraia lítio na Bolívia e tinha como um dos seus principais clientes a Tesla, empresa que Elon Musk é CEO.

Lide com isso.

Por Daniel Bispo

Elon Musk Viagem espacial, carros elétricos e o golpe na Bolívia

Fontes e leituras complementares:

https://www.commondreams.org/news/2019/11/11/bolivian-coup-comes-less-week-a%20fter-morales-stopped-multinational-firms-lithium-deal

https://revistaopera.com.br/2020/03/19/elon-musk-um-neoconquistador-do-litio-sul-a mericano/

https://insideevs.uol.com.br/news/396789/vendas-eletricos-hibridos-2019/

https://www.eenewspower.com/news/german-venture-taps-bolivian-lithium-deposits

Deixe uma resposta