NILDO OURIQUES: A cueca, não tem ideologia?

Abaixo você poderá ver os produtos que o Brasil importou da China o ano passado.

Produtos manufaturados:

-Plataformas de perfuração ou de exploração, dragas, etc;

-Circuitos impressos e outras partes para aparelhos de telefonia;

-Partes de aparelhos transmissores ou receptores;

-Motores, geradores e transformadores elétricos e suas partes;

-Compostos Heterocíclicos e seus sais e sulfonamidas;
Dispositivos semicondutores;

-Circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos;
Tecidos de fibra têxteis, sintéticas ou artificiais;

-Partes e peças para veículos, automóveis e tratores;

-Inseticidas, formicidas, herbicidas e produtos semelhantes;

-Compostos organico – inorgânicos;

-Produtos laminados de ferro ou aço;

-Bombas, compressores, ventiladores e suas partes; e

-Aparelhos eletromecânicos ou térmicos para uso doméstico.

A luta ideológica é constitutiva da luta política.

A direita fez com certa maestria nos últimos anos e leva enorme vantagem por enquanto. A esquerda liberal não tematiza o socialismo e a revolução brasileira, razão pela qual anda um círculos no labirinto da ordem burguesa.

O sujeito cativo da ideologia de direita rejeita o comunismo, denuncia a ameaça chinesa e despreza a vacina oriental, mas utiliza computador com componentes chineses, come com fertilizantes chineses, compra carro com partes “made in China”, roda com pneu chinês e, finalmente, a cueca que usa, é feita com tecidos importados da China. Mas não quer a vacina chinesa!

Na luta ideológica, as questões morais tem certa importância quando bem tratadas mas o que realmente importa é a vida real dos trabalhadores. O único meio de tocar no nervo da luta ideológica é discutindo os problemas reais. Um bom exemplo, é o preço chinês… é só mandar o anti-comunista escolher entre o preço da cueca produzida aqui ou nos esteites com aquele que vem da Ásia…

Aposto que a conversa será imediatamente deslocada para saber se em Netuno poderemos encontrar água…

NILDO OURIQUES A cueca, não tem ideologia importação china vacina

1 Comentário

  • Caro Nildo.
    Não é uma questão de não aceitar a vacina chinesa. É não aceitar nenhuma outra vacina produzida a toque de caixa, sem os devidos testes e protocolos obrigatórios a serem seguidos. Portanto, não se trata de ideologia.

    0

    2

Deixe uma resposta