GUSTAVO CASTAÑON: O resultado das reformas liberais

É preciso lembrar. Se acabasse com a política do Mantega o investimento voltava. Se aumentasse os juros a estabilidade voltava. Se tirasse a Dilma o investimento voltava. Se nomeasse o Meirelles o investimento voltava. Se fizesse reforma escravagista acabando com a CLT o investimento voltava. Se elegesse o Bolsonaro o investimento voltava. Se acabasse com nossa aposentadoria o investimento voltava… E agora?

Agora se acabar com o que restou do Estado com uma reforma administrativa que mal dá bilhão (ou vc acha que vão mexer com o judiciário, o BC, as aposentadorias das FFAA?) o investimento volta. Se baixar imposto de rico o investimento volta. E depois?

Depois não vai ter sido o suficiente. Será preciso nova reforma da previdência. Será preciso privatizar a saúde, o BB, a Petrobrás, a educação. E então?

E então nada. Eles terão vencido. O Brasil é que terá fracassado. Eles terão vendido o Brasil e estarão morando em Miami.

Muito poucos fora dos adolescentes tardios de classe média alta de rede social acreditam no neoliberalismo. Para estes, ele funciona como uma crença metafísica infalsificável, uma religião do egoísmo que dá uma justificativa para sua condição privilegiada e sem mérito próprio. Mas também aos escravos da iniciativa privada, o neoliberalismo oferece a racionalização para sua imensa frustração e recalque contra o funcionalismo público, oferecendo-o uma desculpa para acusar o professor, o médico e o policial da culpa pela desgraça de sua vida e de sua exploração atroz.

O neoliberalismo é defendido com unhas e dentes pela mídia e por políticos que foram comprados pelo poder econômico não porque eles acreditem nele como instrumento de desenvolvimento.
Qualquer um sabe que nenhum ente privado investe em um país sem mercado interno, sem classe média, sem estabilidade jurídica. Que destruiu seu mercado consumidor achatando os salários e onde seu Estado não investe mais para garantir um nível mínimo de atividade econômica.

Em psicoterapia há um conceito chamado de “ganho secundário”. Ninguém repete um comportamento, por mais destrutivo que seja, se não estiver ganhando algo com isso. O que é que os próceres do neoliberalismo estão ganhando com o neoliberalismo se não desenvolvimento?
Tudo. Eles estão ganhando a destruição do Estado, acumulando bens de produção e poder e, principalmente, estão concentrando ainda mais a renda do país mais desigual do mundo.

O neoliberalismo não é um fracasso.

O neoliberalismo é o seu fracasso.

Para os verdadeiramente ricos, ele é um instrumento de poder e controle demográfico. Para o sistema financeiro, ele é um instrumento de dissolução dos Estados Nacionais. E como tal, sempre, ele é muito bem sucedido.

O resultado das reformas liberais

1 Comentário

Deixe uma resposta