PAULO GALA: Leilão de saneamento em Alagoas: os ricos não precisam mais pagar a água dos pobres!

*do blog do Paulo Gala

Atualmente, a empresa estatal Casal opera em 76 municípios do estado de Alagoas que abrangem uma população de 2,633 milhões habitantes. a Casal obteve em 2018 uma receita total (RT) de R$ 527,04 milhões; e uma despesa total com os serviços (DTS) de R$ 412,4 milhões, com um resultado operacional (RT – DTS) de R$ 114,6 milhões. Houve recentemete leilão de concessão em que dez municípios ricos foram concedidos em bloco à BRK Ambiental. somam uma população de 1,216 milhões de habitantes (46,2% do total da antiga companhia); uma receita total de R$ 324,6 milhões (61,6% do total); uma despesa total com os serviços de R$2 15,3 milhões (52,2% do total); e um resultado operacional de R$ 109,3 milhões (95,3% do total).

Assim, os 66 municípios que permanecem operados pela Casal abrangem 53,8% da população atualmente atendida pela empresa; 38,4% da receita atual da Companhia; 47,8% da sua despesa total com serviços; e apenas 4,7% do resultado operacional da Casal. O conjunto remanescente de 66 municípios da Casal, embora some 87% do total atendido pela companhia até esta licitação, tem pouquíssima participação positiva em seu resultado operacional. esses municípios remanescentes têm muito menor atratividade que aqueles já licitados no bloco da região metropolitana. Além disso, até que sejam realizadas as licitações, continuarão sendo operados por uma Casal destituída de mais de 95% do seu resultado operacional, sem condições de realizar investimentos em seus sistemas.

Além disso, esse conjunto de municípios apresenta condições médias de atendimento bem inferiores àqueles que terão sua concessão transferida por meio da licitação. O índice de atendimento com água é inferior a 75% da população em quase 90% destes municípios, e apenas nove têm sistema de esgotos operado pela Casal, com índice de atendimento inferiores a 35% da população. 47% deles têm população inferior a 15.000 habitantes, e apenas 4 (7%) têm população superior a 50.000 habitantes. A culpa de tudo isso? Casal empresa estatal da água ineficiente que até hoje não resolveu o problema do saneamento ou a pobreza dos municípios que não gera recursos para as obras? A solução privada irá resolver? As condições de saneamento dos municípios pobres de Alagoas serao ainda mais precarizadas; agora uma estatal depletada de sua joia fará o que? Os dois bilhões da outorga vão para pagar dívida. As pessoas mais carentes continuarão sem água e esgoto e a estatal será ainda mais crítica. O subsídio cruzado acabou, os ricos não precisam mais pagar a água dos pobres! Nos municípios ricos onde há riqueza o saneamento ficará um brinco! A empresa concessionária terá altos lucros e o sistema de mercado fará o que melhor sabe: concentrar renda e riqueza!

Referências

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Companhia_de_Saneamento_de_Alagoas

https://www.google.com.br/amp/s/g1.globo.com/google/amp/al/alagoas/noticia/2020/09/30/empresa-vence-leilao-da-casal-com-lance-de-r-2-bilhoes.ghtml

https://economia.uol.com.br/colunas/2020/10/09/no-leilao-do-saneamento-de-maceio-os-pobres-de-alagoas-pagam-o-pato.amp.htm?__twitter_impression=true

1 Comentário

Deixe uma resposta