Centrais sindicais fazem 1º de Maio unificado e greve geral em junho contra reforma da Previdência

1º de Maio Unificado

Pela primeira vez na história do sindicalismo nacional, todas as centrais sindicais participação do mesmo ato no 1º de Maio. A união inédita tem como causa as medidas protagonizadas por Bolsonaro e sua equipe econômica, em especial a reforma da Previdência.

Adilson Araújo, presidente da CTB, esclareceu que “o que motiva o 1º de Maio unificado é exatamente a necessidade de dar resposta a esse ambiente hostil”, acrescentando que o governo Bolsonaro “é um governo que defende uma agenda ultraliberal, de viés fascista, de extrema-direita, legislando interesses do grande capital”.

Com início às 10 horas desta quarta-feira (1º), a previsão é de que 200 mil trabalhadores se reúnam no Vale do Anhangabaú, região central de São Paulo. A partir das 14 horas, haverá a realização de shows.

Como forma de garantir a participação de todas as centrais, vez que as pautas defendidas não são completamente homogêneas, foi definida uma pauta mínima para a convocação do ato, qual seja, a defesa dos direitos trabalhistas; a luta contra o fim da aposentadoria; a geração de novas vagas de empregos e a defesa pro salários melhores.

João Carlos Gonçalves, o Juruna, secretário-geral da Força Sindical, afirmou que a ausência de diálogo com Bolsonaro é fator que contribuiu para a decisão por um movimento unificado dos sindicatos. Segundo ele, até o momento, Bolsonaro recebeu apenas um líder sindical, o deputado federal Paulinho da Força Sindical.

Bruno Covas (PSDB), prefeito de São Paulo, copatrocinador do ato, garantiu que serão fornecidos banheiros químicos e grades para o evento, além do suporte para instalação do palco e da inclusão do Dia do Trabalho no calendário oficial da cidade. Ainda, o prefeito afirmou que comparecerá ao ato.

Além dos líderes sindicais, representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), de partidos e de frentes de esquerda, tal qual a Frente Brasil Popular e a Frente Povo sem Medo, terão direito a fazer fala no evento.

Juruna esclareceu que até o MDB foi convidado a participar, pois “limitados à centro-esquerda não vamos a lugar algum”, ressaltando ser essa a sua opinião pessoal.

Para Juliano Medeiros, presidente do PSOL, “as mobilizações do 1º de maio são fundamentais para demonstrar a força dos sindicatos diante da reforma da Previdência de Bolsonaro, que ataca que ataca direitos dos mais pobres e beneficia o sistema financeiros”.

Greve Geral

Em reunião realizada na última sexta-feira (26), na sede da Força Sindical, os dirigentes das principais centrais sindicais decidiram também pela convocação de uma greve geral em defesa das aposentadorias públicas e contra a reforma da Previdência proposta por Bolsonaro e a mudança na política de reajuste do salário mínimo.

Participaram da reunião as lideranças da CGTB, CSB, CONLUTAS, CTB, CUT, Força Sindical, Intersindical, Nova Central (NCST) e UGT, todas convergindo na crítica à reforma da Previdência enquanto retrocesso social inadmissível que atende aos interesses do empresariado e, em particular, dos banqueiros e rentistas.

A paralisação nacional está prevista para 14 de junho, mas a data só será oficializada e anunciada no 1º de Maio Unificado.

Juruna, secretário-geral da Força Sindical, afirmou à Folha que “no movimento tem gente que está contra toda a reforma e tem uma parcela dos sindicalistas que quer a negociação”.

Na reunião, ficou acordado o seguinte calendário de mobilização:

– 1º de Maio: a partir das 10 horas, em São Paulo, Ato Político do Dia Internacional do Trabalhador;

– 6 de Maio: às 10 horas, reunião das Centrais Sindicais em São Paulo;

– 15 de maio: Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência e apoio à greve nacional da Educação. Segundo a CUT, “será um ‘esquenta’ para a greve geral de junho”.

Ainda, estabeleceram que haverá um encontro das centrais com movimentos sociais objetivando a preparação da greve geral; reuniões com os sindicatos do ramo de transportes, considerado essencial para uma paralisação nacional; visitas aos estados para conscientização e mobilização das bases e intensificação da coleta de assinaturas para o abaixo assinado contra a reforma e definição da data que em será entregue ao Congresso Nacional.

Para o presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, “a unidade é essencial para o sucesso da greve geral e estamos dando passos decisivos nesta direção. Vamos redobrar os esforços para conscientizar o povo brasileiro sobre os riscos embutidos nesta falsa reforma, que na verdade é o desmonte do sistema previdenciário, o fim progressivo das aposentadorias públicas e a privatização por meio do perverso sistema de capitalização. Temos a obrigação de empenhar todas nossas forças na luta para impedir mais este golpe contra a nossa classe trabalhadora”.

Agenda prévia do 1º de Maio nos demais estados:

  • BAHIA

14hrs – Ato 1º de Maio Unificado no Farol da Barra, em Salvador.

  • BRASÍLIA

13hrs – Ato do 1º de maio da classe trabalhadora no Taguaparque, com apresentações culturais de Vanessa da Mata, Odair José, Israel e Rodolffo, entre outras atrações locais. Também será celebrado os 40 anos do Sindicato dos Professores de Brasília (Sinpro-DF).

  • CEARÁ

15hrs – Ato Unificado na Praia de Iracema, em Fortaleza, com concentração na Avenida Beira Mar, próximo ao espigão da Rui Barbosa.

  • GOIÁS

14hrs – Concentração na Praça Cívica, em frente ao Coreto.

17hrs – Ato político e atividades culturais com shows e outras atrações na Praça Universitária.

  • MATO GROSSO

16hrs – Ato político e cultural, com artistas regionais, na Praça Cultural do Bairro Jardim Vitória, em Cuiabá.

  • MATO GROSSO DO SUL

9hrs às 12hrs – Ato unificado do 1º de maio na Rua Anacá com a Rua Barueri, bairro Moreninha II.

  • PARAÍBA

14hrs – Caminhada com concentração em frente ao Centro de Zoonoses dos Bancários.

17hrs – Ato cultural no Mercado Público de Mangabeira.

  • PERNAMBUCO

9hrs – Concentração na Praça do Derby, em Recife.

  • PIAUÍ

8hrs – Ato do 1º de maio na Praça da Integração, em Teresina.

  • RIO DE JANEIRO

9hrs às 14hrs – Ato na Praça Mauá, com barraquinhas para coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a reforma da Previdência, além de outras atividades organizadas pelos sindicatos e movimentos populares.

14hrs às 17hrs – Os trabalhadores e trabalhadoras sairão em bloco pelas ruas, intercalando bloco e fala política das centrais sindicais e movimentos que compõem as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo.

  • SERGIPE

8hrs – Concentração do ato na Praça da Juventude – Conjunto Augusto Franco. Em seguida, caminhada em direção aos Arcos da Orla de Atalaia, onde ocorrerá um ato político e cultural com coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a reforma da Previdência.

  • RIO GRANDE DO SUL

Porto Alegre

15hrs – Ato na Orla do Guaíba.

Caxias do Sul

14hrs – Ato nos Pavilhões da Festa da Uva.

Bagé

14hrs – Concentração na Praça do Coreto, com caminhada pela Avenida 7 de Setembro.

Erechim

10hrs – Concentração no Bairro Atlântico.

Passo Fundo

14hrs às 17hrs – Ato no Parque da Gare.

Pelotas

14hrs às 18hrs – Ato com mateada e atividades artísticas na Praça Dom Antônio Zattera.

Santa Maria

10hrs às 17hrs – Atividades com ato ecumênico, almoço coletivo, apresentações culturais, mateada, lançamento do Comitê Regional contra a Reforma da Previdência e ato público no Alto da Boa Vista, no bairro Santa Marta.

Ijuí

14hrs – Concentração seguida de ato na Praça Central.

  • SANTA CATARINA

Florianópolis

9h30 – Debates sobre a Reforma da Previdência e atividades culturais na comunidade do Mont Serrat.

Blumenau

15hrs – Ato público em defesa da Previdência na Praça da Prefeitura.

  • SÃO PAULO (região metropolitana e interior)

Campinas

9h30 – Concentração no Largo do Pará com caminhada até o Largo da Catedral.

10h30 – Ato no Largo da Catedral.

11hrs – Ida ao 1º de maio em São Paulo, no Vale do Anhangabaú.

Osasco

6h30 – 11º Desafio dos Trabalhadores, tradicional corrida e caminhada de rua do dia 1º de Mmaio, com concentração a partir das 6h30.

São Bernardo do Campo – Ação Inter-religiosa

9hrs – Concentração na Rua João Basso, 231, com procissão até a Igreja da Matriz.

9h30 – Missa

Sorocaba

14hrs às 22hrs – O Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) organiza um ato político-cultural no Parque dos Espanhóis, com a presença de Ana Cañas, Detonautas, Francisco El Hombre, entre outros.

Deixe uma resposta