A tríplice aliança racista e imperialista contra a China

O ocidente não cansa de se orgulhar da sua decadência perante a superioridade humanitária da China.

Em mais uma tentativa estapafúrdia, Trump e grupos de cientistas norte americanos, que, por incrível que pareça, gostam de teorias conspiratórias, aliados ao almofadinha do Macron, (aquele que vocês, os emocionados identitários, ficaram defendendo), estão levantando levianas teses.

São elas: que a China, em especial os cientistas chineses de Wuhan, invetaram o vírus (a gente costuma ouvir isso, mas agora parece que virou discurso oficial, com respaldo de um “grupo de cientistas ligados a Casa Branca” ) e que a China escondeu os casos, falsificando dados e manipulando a OMS.

Narciso realmente estranha tudo que não é espelho.

Os EUA, na guerra do Vietnã, fez uso de arma biológica. Utilizou o agente laranja. O herbicida extremamente tóxico, foi utilizado na casa dos milhões de litros, aproximadamente 80. Altamente cancerígeno, o agente, deixou seus rastros até hoje na população vietnamita. Tudo isso em nome da democracia ocidental. A história nos mostra quem realmente faz guerra biológica.

E quando o assunto é manipulação, a indústria farmacêutica norte americana é especialista:
“A primeira condenação de um chefão da indústria farmacêutica acusado de estimular ‘epidemia de opioides’ nos EUA”. Essa foi a manchete de uma notícia vinculada pela UOL (link no final do texto).

Referente a “origem do vírus ser os laboratórios de Wuhan”, artigos foram lançados em duas das maiores revistas de divulgação científica (Science e Nature) dizendo que ainda não há certeza sobre a origem viral (link no final do texto).

Se você domina o básico dos princípios da biologia, virologia e epidemiologia (assuntos que temos acesso no ensino médio), sabe que a capacidade de mutação de certos vírus é altíssima, vide a influenza. Se você for mais um pouco curioso e der um “Google” vai ver que o vírus ficou conhecido por nós na década de 60 e que exitem mais 7 cepas que infectam humanos. Isso significa que a probabilidade de ter sido criado em laboratório é mínima.

A acusação de que foi criado em laboratório em Wuhan não tem lastro científico ou fonte segura alguma. Pelo contrário, a narrativa é que agentes norte americanos visitaram o laboratório e não gostaram das condições de segurança.

Sendo que: Wuhan, uma cidade com cerca de cinco vezes o tamanho de Londres, possui capacidade de pesquisa científica de ponta. Ela abriga um laboratório de nível quatro de segurança biológica (BSL-4), o laboratório Wuhan P4. Sua pesquisa está destinada aos patógenos mais perigosos e segue os níveis máximos de segurança. Esse reconhecimento não é do governo chinês. Mas sim corresponde a um critério mundial e científico. Muito diferente da avaliação e boatos de agentes que respondem aos interesses do império americano.

Porém, não satisfeitos, Macron, Trump e o primeiro ministro japonês Shinzo Abe, numa unidade bisonha, mesquinha e ingrata, entre obscurantismo, conservadorismo de guela e neo-liberalismo, insistem nessa retórica de manipulação no número de casos e que “há informações que não sabemos sobre os chineses” por que a China hoje revelou mais um mil novos casos na sua contabilidade. O governo chinês justificou que esse acréscimo se deu devido ao aumento repentino da demanda nos hospitais, o que dificultou a organização e constatação de todos os casos.

A tríplice aliança racista e imperialista contra a China

Essa postura, principalmente do engomadinho do Macron, desnuda a ideia de que só o bolsonarismo ataca a China e de que esse discurso é coisa de “desmiolados”. Pelo contrário, existe uma unidade discursiva. Existe um propósito. E o Brasil tomou um lado nisso.

Os números acrescentados e a aparência de desorganização pode nos causar espanto inicialmente, mas é extremamente normal que isso aconteça. A subnotificação vem sendo costumeira no mundo todo, a China não ficaria de fora disso e teve coragem e dignidade de assumir. Porém, os seus esforços são reconhecidos pelo OMS. E longe de dizer que a OMS seja um órgão comunista.

Mas o imperialismo não dá ponto sem nó. Trump cortou as verbas norte americanas destinadas a organização mundial da saúde, um total de 400 milhões de dólares (contribuição referente ao exercício de 2019), arguindo que a OMS manipulou dados mundias e que está agindo pró China. Vale tudo pra acusar os chineses, ganhar a disputa comercial, difamar o socialismo e desviar o foco do caos que está a saúde estadunidense, até mesmo deslegitimar uma organização que nada tem de subversivo, pelo contrário, faz parte da ordem globalista.

Mais interessante: depois das acusações e ataques a China, os EUA estudam a reabertura.

Mais intrigante ainda. O mercado financeiro reagiu positivamente e a bolsa de valores registrou alta. E sabe qual foi a bolsa? A de Nova York! Sim, a mesma NY que hoje é o epicentro da covid-19. Curioso? Não. Político. Tudo faz parte da estratégia na disputa de comércio.

Os EUA, e seus compadres, aliados e especialistas em explorar, colonizar e roubar os povos pobres, se juntam mais uma vez na tentativa, agora sofisticada e mais inescrupulosa, de atacar os povos que não se rendem a sua cartilha. E os chineses além de não se renderem, são socialistas e disputam a maior corrida comercial com os EUA, UE e Japão. Ou seja, prato cheio para ataques de todo tipo.

Enquanto eles destilam ódio e ingratidão, já que a China mandou máscaras e suprimentos para os três países, inclusive, estabeleceu um compromisso regional na reunião do ASEAN+3 (Associação de Nações do Sudeste Asiático + China, Japão e Coréia do Sul), há dois ou três dias atrás, os chineses continuam a ser exemplo de solidariedade. Argentina, Sérvia, México, Itália, Espanha, Rússia, Irã. Esses são uns dos mais de 80 países que contam com o apoio e a solidariedade chinesa.

Enquanto eles espalham mentiras e fazem, de formas sorrateira e oportunista, política com a pandemia, Xi Jinping, o PCCh e todo povo chinês distribui esperança.

Por Arison Fernandes, diretor da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini em Pernambuco

Links:
https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2020/03/19/interna_internacional,1130315/amp.html

https://economia.uol.com.br/noticias/afp/2020/04/14/trump-anuncia-suspensao-do-financiamento-dos-eua-a-oms.amp.htm

https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/bbc/2019/05/03/a-primeira-condenacao-de-um-chefao-da-industria-farmaceutica-acusado-de-estimular-epidemia-de-opioides-nos-eua.amp.htm

https://es.vietnamplus.vn/asean3-fortalece-cooperacion-en-la-respuesta-a-pandemia-de-covid19/118801.vnp

https://www.sciencemag.org/news/2020/01/wuhan-seafood-market-may-not-be-source-novel-virus-spreading-globally

https://www.nature.com/articles/s41591-020-0820-9

https://valor.globo.com/financas/noticia/2020/04/16/bolsas-de-ny-avancam-com-expectativa-sobre-reabertura-da-economia-nos-eua.ghtml

6 Comentários

  • acho desnecessario revisar a historia com objetivos de vingança, pois veja o que poderiamos hoje fazer com os alemães que apoiaram Hitler e o Holocausto,o que fazer com a China sobre a atual ocupação do pacifico Tibet,o que fazer com os comunistas que somando em quase tudo o que ocorreu após o manifesto comunista de Marx e Engels já contribuiram e participaram em mais de 100 milhões de mortos, o que dizer do apoio do PT ao lider Fidel Castro que mandou ao redor de 1000 pessoas para o paredão, de Che Guevara que foi a ONU e discursou “fuzilamos e iremos fuzilar” ou seja um cangaceiro em plena ONU.O que dizer dos emprestimos bilionarios feitos por Lula/Dilma a paises com forte vies autoritarios antidemocraticos como por exemplo Cuba,com partido unico o comunista enquanto aqui ainda temos milhares de portos caindo aos pedaçõs ou favelas.

    0

    1

  • Dsairsm do Vietnã e deixaram uma moléstia que perdurará por gerações. Malditos Yankees!

    0

    0

  • O discurso deixa claro que a Fundação Brizola é pró China.
    O artigo poderia ser menos apelativo, mas em política a apelação é via de regras. O que sabemos é que a globalização experimenta uma grande crise, o Nacionalismo é uma tendência cada vez maior nas grande potências, o discurso contra a China faz parte dessa retórica nacionalista, é evidente que a globalização trouxe diversos problemas, principalmente na questão produtiva industrial nacional, os líderes mundiais estão a par desta situação, com o crescimento populacional acelerado e o advento da indústria 4.0, o desemprego supera recordes históricos.
    Desta briga Sino-Americana o Brasil deve tirar proveito, reestruturar sua matriz industrial que foi colapsada pricipalmente pela superoferta de produtos Chineses.
    A crise do Corona Vírus foi uma alternativa menos letal, pois o advento de uma guerra de grandes proporções estava se desenhand o e chegou ao auge com o assassinato do Soleimani em território iraquiano, e depois o ataque iraniano à bases militares do EUA.
    Se não fosse a covid-19, os ânimos em favor da guerra, tanto pela Imprensa e Elite internacional, quanto pelos Políticos tomadores de decisões, estaríamos num cenário de grande chances de um desastre civil tremendamente maior.
    Repito, neste momento o Brasil precisa tomar a direção de reestruturar a indústria nacional.

    0

    0

  • Gostaria de saber como o autor explica o virus ter se espalhado para o mundo todo com esta agressividade, mas nao ter se espalhado para dentro da China com a mesma agressividade, gostaria que o autor explica-se como, com toda transparencia chinesa e competencia da OMS ,chegamos neste caos, e ainda o quanto seria pior este caos caso a China nao tivesse passado informacoes precisas , explica pra nos…. o quanto seria pior este caos caso a OMS fosse incompetente.

    0

    0

Deixe uma resposta