GUSTAVO CASTAÑON: O momento não é pra rir, mas para trabalhar

Para certos prepostos do PT o único motivo de alegria nos últimos tempos é comemorar a estagnação de Ciro Gomes nas pesquisas. Da mesma forma alguns me atribuem opiniões que eu não tenho, somente porque não posso manifestar explicitamente o contrário.

Infelizmente, se eventualmente crescerem minhas responsabilidades na campanha, não poderei mais praticamente sequer fazer uma análise de cenário porque isso poderia ser interpretado como opiniões ou informações internas. A verdade é que faço minhas leituras de cenário baseado muito menos em informações exclusivas, que são poucas, do que nas minhas hipóteses gerais sobre quem são e o que querem os principais grupos e agentes políticos no Brasil hoje.

Dito isso, não posso falar certas coisas já hoje, mas é totalmente falso que eu menospreze o poder eleitoral de Lula e do PT, isso é coisa de quem tem dificuldades para entender o português.

Reconheço que um poste de Lula tem potencial para ir ao segundo turno, embora saiba, exatamente por entender a língua portuguesa, que o Datafolha jamais afirmou que seu potencial de transferência é a totalidade de seus votos, ou seja, 30%. Pesquisas já realizadas com “Haddad apoiado pelo Lula” mostram que seu potencial atual de transferência de votos anda pela casa de 7% a 8% dos votos. Isso não é informação interna, é de domínio público.

O que digo é que o poste do Lula não teria nenhuma chance, a preços de hoje, de vencer o segundo turno. E menos ainda de, vencendo, governar o país, talvez mesmo tomar posse. E essas chances não melhorarão com a divulgação da delação premiada de Palocci e Duda Mendonça.

A condenação de Lula nesse processo do triplex é absolutamente injusta e ridícula, e portanto, impedir sua candidatura, nesse momento, é injusto.  A confusão que se faz é crer que, no entanto, não existe qualquer motivo para tudo o que o PT está passando, que tudo é somente fruto de perseguição política. Tudo é perseguição política, também. Mas não somente.

Até as pedras sabem.

Não há condições políticas de o PT ficar a frente de um governo federal. Não haveria aceitação do Congresso, das FFAA, do Judiciário, dos Partidos, dos Empresários, da Classe Média, do Sul do país. Isso é diferente de serem oposição, essas forças e setores não aceitam mais o PT, por motivos que seriam muito constrangedores explicitar, e provaram isso com Dilma.

Ir para enterrar nosso país numa ditadura para defender um projeto de salvação nacional poderia parecer heroico. Mas Lula nem sequer é capaz de prometer que vai tomar nosso petróleo de volta. O jogo com nossa democracia é por hegemonia da esquerda, nada mais. É um jogo que só interessa à direita, ao PSDB.

O PT é o adversário dos sonhos do Alckmin, do Bolsonaro e da Marina. Ele entrega no segundo turno o país ao fascismo ou ao neoliberalismo ou aos dois. Quem ri disso está louco.

Portanto aguardemos os próximos movimentos dos tucanos Alexandre Moraes e Gilmar Mendes no Supremo. Eles revelarão muitas coisas sobre os acordos obscuros da política brasileira.

Enquanto isso cabe a nós trabalhar por uma frente ampla que construa uma alternativa real de poder ao desmonte nacional. E ao PT, infelizmente, trabalhar junto com o PSDB para evitar essa frente ampla e manter o país na polarização paulista que afundou o país.

Eles podem colocar o PT no segundo turno? Claro que podem. Eles podem vencer o segundo turno? Se o quadro mudar muito, talvez contra Bolsonaro. Eles podem governar? É claro que não.

Ciro está no momento estagnado nas pesquisas? É claro que está. Queríamos o apoio do PT? É claro, eles é que não querem. Esse apoio trás só bônus eleitorais? É claro que não, mas o apoio de Lula e a unidade da esquerda trás mais bônus do que ônus.

Por isso nós vamos continuar trabalhando com os recursos que temos em nossas mãos por uma frente de salvação nacional até a última gota de sangue.

E nós podemos conseguir isso? Claro que sim. Podemos vencer o poste do PT no primeiro turno? É evidente, embora arriscado. Podemos vencer o segundo turno? No momento já estamos vencendo, menos a Marina. Podemos governar? As tratativas de aliança e diálogo com os empresários, FFAA e setores da direita mostram que sim.

Então não temos tempo para rir da situação de ninguém, mesmo porque a desgraça em que está nosso país não permite que uma pessoa lúcida e decente encontre satisfação nesse tipo de coisa.

Nós só temos tempo para trabalhar para salvar nossa pátria.
Junte-se a nós.
Nós podemos conseguir.

1 Comentário

Deixe uma resposta