BTG Pactual: Sem Lula, Ciro Gomes vai para 2º turno com Bolsonaro e supera Marina

Saiu nesta segunda-feira (03/09) a primeira pesquisa eleitoral divulgada após o início da propaganda eleitoral na televisão e rádio. A pesquisa é do instituto FSB e foi encomendada pelo banco BTG Pactual. O levantamento, registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi feito com dois mil entrevistados, em 27 unidades federativas, por telefone, entre os dias 1 e 2 de setembro. A margem de erro é de dois erros percentuais, para mais ou para menos.

Em cenário sem o ex-presidente Lula, que teve candidatura rejeitada pelo TSE na madrugada do último sábado (01/09), Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança, com 26% das intenções de voto. O candidato Ciro Gomes (PDT), por sua vez, aparece em seguida, com 12% dos votos. Em terceiro lugar vem Marina Silva (Rede), empatada com Ciro dentro da margem de erro, com 11%.

Na sequência, o candidato com maior tempo de propaganda eleitoral, Geraldo Alckmin (PSDB), tem 8%. Fernando Haddad (PT) tem 6%, João Amoêdo (Novo) tem 4% e Alvaro Dias (Podemos) tem 3%. Henrique Meirelles (MDB), Guilherme Boulos (Psol) e Cabo Daciolo (Patriota) têm, cada um, 1%. Os demais candidatos não pontuaram. Brancos, nulos e indecisos somam 28%.

Gráfico de intenções de voto em Cenário com Haddad. Fonte: FSB Pesquisa
Gráfico de intenções de voto em Cenário com Haddad. Fonte: FSB Pesquisa

Assim, segundo o levantamento, em um cenário com Haddad encabeçando a chapa do PT, iriam para o segundo turno Bolsonaro e Ciro Gomes.

Com Lula disputando, o ex-presidente aparece com 37% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 22%. Empatados na margem de erro ficam Ciro Gomes, com 7%, Alckmin, com 6% e Marina Silva, com 5%. Amoêdo teria 4%, Alvario Dias, 3%, Meirelles, Boulos  e Cabo Daciolo têm, cada um, 1%. Brancos, nulos e indecisos somam 13%.

Gráfico de intenções de voto em Cenário com Lula. Fonte: FSB Pesquisa
Gráfico de intenções de voto em Cenário com Lula. Fonte: FSB Pesquisa

Com Lula, 9% dos eleitores dizem votar em “ninguém”. Sem o ex-presidente e com Haddad, esse índice sobe para 18%. Dos eleitores de Lula, 36% dizem que votariam nulo, em branco ou em nenhum candidato caso o petista esteja fora da disputa.

Segundo o levantamento, quando perguntados se votariam em Haddad caso este fosse o candidato do PT com o apoio de Lula, enquanto 19% responderam “com certeza” e 14% responderam “poderia votar”, 61% responderam que “não votaria de jeito nenhum”.

A pesquisa fez um cruzamento de dados (como vota no cenário com Haddad quem votou em Lula em outro cenário) e mostrou que a maioria dos votos “herdados” de Lula se dividem entre Haddad, Marina e Ciro, na proporção de 15% para cada um. Em relação a pesquisa anterior, Ciro Gomes é o candidato com maior crescimento de votos herdados – de 9% foi para 15%. Bolsonaro e Alckmin, por sua vez, herdam 8% cada. Alvaro Dias, Meirelles e Boulos, 1%. A conclusão é da dificuldade de concentração dos votos petistas no ex-prefeito de São Paulo, como já sinalizado pela última pesquisa Datafolha.

Em relação ao potencial de voto, ou seja, porcentagem dos que poderiam votar em determinado candidato, Lula lidera com 53%. Na sequência, vem Bolsonaro e Marina, ambos com 53%, seguidos por Ciro Gomes, com 54%. Haddad apresenta 27% de potencial de votos, Alvaro Dias 15%, Meirelles 12%, Amoêdo 11%, Vera Lúcia (PSTU) e Boulos 6% cada um. Cabo Daciolo e João Goulart Filho (PPL) registram 5% e, por fim, aparece José Maria Eymael (DC), possuindo 4% dessas intenções.

O candidato mais rejeitado, segundo a pesquisa FSB/BTG, é Geraldo Alckmin. 63% dos eleitores afirmam não votar “de jeito nenhum” nele. Marina aparece logo em seguida, com 58% de rejeição. Meirelles tem 55%, Ciro e Bolsonaro 51% cada e Haddad 50%. Lula teria 46%.

 

1 Comentário

Deixe uma resposta