Ciro Gomes e Maria do Rosário: “Unidade é o cacete!”

Em um evento dos policiais antifascistas em Recife, Maria do Rosário interrompeu Ciro Gomes diversas vezes. O motivo?

Ciro denunciou o caráter essencialmente neoliberal dos governos petistas, que não mexeram em sequer um fio de cabelo do modelo de tributação extremamente retrógrado do país. Ironizou Joaquim Levy, ministro da fazenda petista.

Ciro respondeu as acusações de quem disse que ele não tinha feito nada contra o golpe de 2016. Mostrou como o Ceará foi o estado que mais votou contra o impeachment, que Ciro defendeu que Lula escapasse da perseguição política se exilando numa embaixada – quando muitos petistas defendiam que ele deveria se entregar para a Justiça.

Em outro trecho da fala, disse que nas eleições de 2018 o PT mostrou que estava disposto a sacrificar o país para manter sua hegemonia. O PT sabotou a campanha de Ciro Gomes, trabalhando ativamente para impedir que o PCdoB e o PSB compusessem chapa com o candidato trabalhista. Agiram conscientemente, sabendo que levavam o país para a beira do abismo – que acabou nos engolindo com a eleição de Bolsonaro.

O próprio Lula manobrou a partir da prisão para sabotar a candidatura de Ciro Gomes, sabidamente mais viável eleitoralmente e com um programa de governo muito mais radical do que o petismo jamais sonhou. A cúpula petista foi sua cúmplice porque queria usar a imagem de Lula para manter seus mandatos e escapar da foice da Lava-Jato que os Josés Eduardos Cardozos da vida e seu republicanismo ingênuo ajudaram a criar.

Agora, depois de toda essa “traíragem”, o PT se acha no direito de cobrar uma suposta “unidade”. E que unidade é essa? É manutenção de todas forças progressistas do país como refém da falsa polarização entre PT e Bolsonaro, que somente beneficia as duas partes em uma cumplicidade secreta. É sequestrar toda a disputa política para suas bolhas de lacração na internet e para seus nichos eleitorais.

É claro que precisamos de uma frente para deter o avanço do imperialismo encabeçado por Sérgio Moro, Paulo Guedes e Bolsonaro (nessa ordem). Mas essa frente deve ocupar o centro da política. Precisamos de um grande pacto patriótico que detenha a destruição do nosso tecido industrial, a entrega de nossas riquezas naturais, o ataques aos pontos centrais da nossa cadeia produtiva, a antipolítica autoritária que tomou conta do Poder Judiciário e do MP – e não uma palavra de ordem vazia somente para manter a hegemonia petista sobre seu nicho eleitoral.

A disputa entre PT e PDT não é um simples conflito de egos. É a luta de duas forças históricas. De um lado, um liberalismo travestido de esquerda, surgido com a cumplicidade do regime militar em queda, de uma teoria fragmentária e subjetivista importada da Europa (a pós-modernidade) e de um projeto econômico distributivista que tranquilamente agradaria a Joaquim Levy e tranquilizaria os bancos. De outro, um patriotismo de esquerda, que deita raízes profundas na história do Brasil (desde Getúlio), de um pensamento e uma prática que pensam o Brasil a partir do Brasil e de um Projeto de Nação industrializante que vai no âmago da contradição central do país, a dependência econômica.

O Ciro detonou no debate. Falou exatamente o que tinha que ser dito e limpou o coração de tantos que não toleram mais o patrulhamento ideológico de um partido sem comando e desesperado, incapaz de exercer a liderança necessária que o país precisa.

Por que a deputada petista interrompeu Ciro Gomes tantas vezes? Porque Ciro falou a verdade.

Aguentem aí, petistas. Haverá ainda muitos outros choques de verdade pela frente.

6 Comentários

  • O que será do PT assim que Lula morrer? Morrerá junto! PT sem Lula não existe. Ciro é Ciro independente de partido. Somos todos Ciro Gomes 2022!

    10

    3

  • Maicon se o PT erra por faer de Lula um deus , voce quer fazer o mesmo com Ciro? Ciro ao igual que Lula, voce e eu nao e nada sem um partido , seus militantes e uma frente ampla e esclarecida sobre o que o Brasil precisa

    0

    3

  • Ciro lavou minha alma. Meu presidente. Parabéns.

    5

    1

  • A diferença é que o petismo precisa de um deus. Quem gosta de Ciro o faz por suas ideias, suas ações, sua capacidade, sua coerência ao longo dos anos,sua honestidade não só com o dinheiro público, mas por não mentir, não trair, não enganar o povo, ser sempre verdadeiro em suas posições, explicando o que pretende fazer, e fazendo até o fim o que promete, como sempre fez em todos os cargos que exerceu. Na hora em que deixar de ser tudo isso não terá mais quem o siga. Não somos uma seita. Somos um grupo de eleitores conscientes e responsáveis, que examinaram todas as possibilidades pra depois escolher o melhor para o país. E tem gente que nos confunde, por nem saber do que se trata. Ídolos são de barro, e caem. Não adianta colar.

    2

    0

  • Uma coisa eu concordo com a Maria dos presidiários O coronel Ciro Gomes está profundamente magoado e TODOS nós já sabemos como que vai acabar está mágoa$$$$$$$$$ok então porque vcs não fazem assim respeitem o nosso PRESIDENTE Jair messias Bolsonaro e lutem por ele ,para que de tudo certo não só para mim e nem para meia dúzia que está lendo .mas para todos nós brasileiros ok Brasil ACIMA de tudo Deus ACIMA de TODOS .

    0

    2

Deixe uma resposta