Ciro Gomes e o PT: o que venta lá

O vento que venta lá

Diz o ditado popular que “o vento que venta lá, venta cá”. Uma dentre muitas traduções verbais na nossa riquíssima língua da ideia milenar do Retorno (aqui se faz, aqui se paga; pau que dá em chico, dá em francisco e etc). Na política de hoje, muda mais uma vez a direção do vento no chamado campo popular, vulgarmente conhecido como esquerda.

Ciro Gomes e o PDT tomaram a frente em contar para o Brasil o que todos viam, mas não aceitavam: o Rei está nu (ou preso). O resultado da arrogância inepta do PT é o governo mais anti-Brasil da nossa história. E na hora de acertar as contas, em vez de rogar o perdão, o PT lança uma cruzada de destruição contra quem lhe acusa pelo pior gesto político da história recente do país.

Bufando os piores arreganhos contra Ciro Gomes, que apenas deixou explícito seu vazio de projeto e sua adesão desesperada a uma interpretação redutora de pautas civis, o PT e seus prepostos começam em peso a repetir a tática de difamação que já se viu em tantos momentos. Sempre, contudo, contra um único alvo.

Ah, os anos 90…

Quem hoje observa o cenário no campo político popular, tem a impressão (enganosa) de que o PDT é um estranho no ninho. Alguns têm dificuldade de encaixá-lo e o ignoram, outros o atacam, poucos o integram. Mas quem achar que isso é de agora, está enganado.

Lá no início dos anos 90, época em que Brizola já partia para seu segundo mandato de governador enquanto Lula havia inaugurado a era neoliberal entregando o país a Collor tal qual seu preposto entregou a Bolsonaro, a toada era idêntica. PT e PDT nunca se bicaram, só se toleraram enquanto o PDT foi útil para o projeto de poder petista.

Tendo sido derrotado (como claro que só poderia ser) na disputa pela presidência em 1989, o PT só havia tido uma conquista eleitoral significativa até ali, a prefeitura de São Paulo em 1988 com Erundina. A fim de chegar ao poder, o PT daqueles tempos já se entregava a toda sorte de boataria, difamação e interdição contra Brizola e o PDT. Justo contra quem, apesar de supostamente pertencer ao mesmo campo, era dono de uma fatia considerável do eleitorado e carregava a herança de uma longa e linda tradição histórica que gestou e pariu o Brasil moderno.

Em 1986, o PT se uniu aos setores mais reacionários do Rio de Janeiro e difamou o projeto dos CIEPs, chamando-os de “campo de concentração de crianças”, e lançou Fernando Gabeira para o governo estadual. Resultado: tirou de Darcy Ribeiro os votos que precisava para vencer e entregou o RJ a Moreira Franco. Em 1992, iniciou a cooptação da pauta civil com o slogan “Benedita da Silva: preta, pobre e favelada” para interditar Cidinha Campos na disputa pela prefeitura carioca, e assim iniciou na cidade a dinastia de Cesar Maia.

E enquanto negava apoio a um governo de união nacional em torno de Itamar Franco (contribuindo assim para que Fernando Henrique Cardoso usasse aquela oportunidade para chegar à Presidência), seguia na ação destrutiva contra Brizola e o PDT.

Não era coisa rara ouvir de petistas excrescências tais como: “Brizola fugiu da ditadura vestido de mulher”, “a filha do Brizola é cheiradora”, “Brizola é latifundiário no Uruguai”, “Fidel Castro disse que Brizola é o maior ladrão que ele já conheceu”, “o PDT é ultrapassado”, “a juventude não quer um caudilho”, “Brizola apoiou Collor até o fim”…

Percebam que já então a maioria das críticas era profundamente despolitizada e moralista. Porque não eram críticas, eram difamações deliberadas com intuito de eliminar a corrente política que podia fazer frente a seu projeto de poder.

E o vento virou

Mas o tempo vai, mas o tempo vem, como diz a canção. E o vento que ventou cá, hoje venta lá. Tendo finalmente chegado ao poder e feito um governo que deu o pão aos bancos e a migalha aos pobres, o PT enredou-se sozinho na escumalha política e foi atacado pelas forças reacionárias de sempre. Mas registre-se que, em vez de oferecer resistência, o PT lhe abriu as portas.

Vem daí a bufada raivosa de agora que tenta reeditar contra Ciro Gomes e o renovado PDT a difamação vilipendiosa feita contra Brizola: da constatação inequívoca de que se estamos como estamos é porque o PT, sendo governo, abriu as portas para o avanço e a escalada reacionária. Não tendo o que dizer contra isto, reverberam versões mentirosas contra a denúncia do Ciro.

Finalmente, o PT derrotou a si mesmo em sua sanha maníaca de derrotar tudo. Por isso, a avaliação correta é a de que seu ciclo histórico de curtíssimo prazo (1979-2019) terminou. Isso pode não parecer inteiramente verdadeiro ainda, mas só porque o prazo de decantação desta derrocada não é de um ou dois ciclos eleitorais (a eleição de 50 deputados federais em 2018 responde ao acúmulo feito nos currais eleitorais quando eram poder).

Alvíssaras! Pois o momento histórico é de ressurgimentos. Ressurgiu com todo seu nojo e violência o antigo udenismo, na forma do bolsonarismo. Ressurge, como alternativa que foi e continua sendo, o Trabalhismo, agora na forma conferida por seu novo líder, Ciro Gomes.

Forças políticas esvaziadas de projeto e erigidas na difamação despolitizada não têm vez no tabuleiro da Grande História.

8 Comentários

  • Parabéns por relembrar a História e a verdade. 👏🏾👏🏾👏🏾

    5

    5

  • O PT acabou com a eco omia nesses ultimos 8 anos, empurraram pela goela do povo seus postes e nao aceitam qie ninguém cresça ao seu lado… #chega de PT #ciro2022

    4

    4

  • O PDT, campeão nacional de fisiologismo, que apresentou o projeto de redução da maioridade penal, que se associa com a desgraça que estiver no governo em cada estado sob o escudo do “pragmatismo”, é esse que “entende o Brasil”? Ta certo…

    Sobre os maldosos ataques mencionados… bom, eu tive um tio, sargento, no MNR. Preso. O que ele dizia sobre o dinheiro que vinha de Cuba, as tietes do criador de gado não aceitam ouvir.

    6

    5

  • PT?

    “Muito engana-me, que eu compro”
    Nós todos apreciamos consumir alguma coisa, com certa constância. Então isso poderia ser bom.

    Eis:
    Vive o PT© de clichês publicitários bem elaborados por marqueteiros.
    Nada espontâneo.
    Mas apenas um frio slogan (tal qual “Danoninho© Vale por Um Bifinho”/Ou: “Fiat® Touro: Brutalmente Lindo”). Não tem nada a ver com um projeto de Nação.
    Eis aqui a superficialidade do PETISMO:

    0.“Coração Valente©”
    1.“Pátria Educadora™” [Buá; Buá; Buá].
    2.“Haddad agora é verde-amarelo®” [rsrsrs].
    3.“A Copa das Copas ®”
    4.“Fica Querida©”
    5.“Impeachment Sem Crime é Golpe™” [lol lol lol]
    6. “Pronatec©, transformando a Vida de Milhões de brasileiros ™”[kkk].
    7.“Foi Golpe™”
    8.“Fora Temer©”
    9.“Ocupa Tudo®”
    10.“Lula Livre®”
    11.“®eleição sem Lula é fraude” [kuá!, kuá!, kuá!].

    3

    3

  • A política é complicada e, muitas vezes, suja, como somos nós, os seres humanos (apesar de a maioria dos seres humanos não ser tão suja assim). É difícil saber quem está com a maior parte da razão.

    1

    0

Deixe uma resposta