Datafolha: Ciro ultrapassa Marina e enfrentaria Bolsonaro no 2° Turno

Foi divulgada a primeira pesquisa Datafolha após o candidato Jair Bolsonaro (PSL) ter sito vítima de uma facada enquanto participava de ato de sua campanha em Juiz de Fora (MG). É também o primeiro levantamento do instituto que não incluiu o ex-presidente Lula nos cenários estimulados, levando-se em consideração a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em barrar sua candidatura.

Foram entrevistados 2.804 eleitores de 197 municípios nesta segunda (10/09). A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

PESQUISA ESTIMULADA

Na pesquisa estimulada, ou seja, quando são apresentadas aos eleitores as possibilidades de votos, Bolsonaro permaneceu na liderança da corrida presidencial. O deputado apresentou 24% das intenções de votos. Esse número mostra que o crescimento do candidato em relação aos resultados apurados na última pesquisa do Datafolha, realizada antes do início do horário eleitoral (entre 20 e 21 de agosto), foi pequeno: Bolsonaro passou de 22% para 24%, de modo que a oscilação observada está, na realidade, dentro da margem de erro.

Em segundo lugar aparecem quatro candidatos tecnicamente empatados: Ciro Gomes (PDT) está com 13%, Marina Silva (Rede) aparece com 11%, Geraldo Alckmin (PSDB) apresenta 10% e Fernando Haddad (PT), possível substituto de Lula na chapa petista, tem 9%.

Em comparação com o levantamento anterior, Haddad foi o candidato com maior oscilação positiva, foi de 4% para 9%. Na sequência está Ciro Gomes, que saiu de 10% para 13%. Alckmin foi de 9% para 10%. O pior cenário ficou com Marina Silva, que apresentou acentuada queda: foi de 16% para 11%.

pesquisa datafolha intenção de votos estimulada
Intenção de votos estimulada – comparativo das duas últimas pesquisas Datafolha. Fonte: Datafolha

PESQUISA ESPONTÂNEA

No cenário em que não se apresentam estímulos aos eleitores, a pesquisa indica que as intenções de votos para Lula diminuíram expressivamente após o início da propaganda eleitoral e da decisão do TSE que impediu sua candidatura. O ex-presidente passou de 20% para 9%.

REJEIÇÃO

O candidato com maior rejeição é Jair Bolsonaro: 43% dos eleitores afirmam não votar “de jeito nenhum” no deputado. Note-se que entre os jovens esse índice é ainda maior (55%) e, entre as mulheres, igualmente (49%).

Além da pouca oscilação positiva das intenções de votos, portanto, o deputado do PSL tem alta rejeição, o que reflete seu mau desempenho nas simulações para o segundo turno.

A segunda mais rejeitada foi Marina Silva, que passou de 25% para 29%. A resistência a Haddad foi de 21% para 22%. A rejeição a Alckmin apresentou queda, passou de 26% para 24%, assim como a de Ciro, que foi de 23% para 20%.

pesquisa datafolha rejeição
Rejeição – não votaria “de jeito nenhum”. Fonte: Datafolha

SEGUNDO TURNO

Bolsonaro perderia em todos os cenários de 2º turno simulados pelo Datafolha. A disputa mais acirrada ficaria entre ele e Haddad. Ainda, a pesquisa mostrou que a vantagem dos demais candidatos sobre o Bolsonaro aumentou em sua maioria.

Ciro Gomes, por sua vez, derrotaria todos os adversários.

Os resultados foram:

Ciro 45% x 35% Bolsonaro (brancos e nulos: 17%/não sabem: 3%)

Marina 43% x 37% Bolsonaro (brancos e nulos: 18%/não sabem: 2%)

Alckmin 43% x 34% Bolsonaro (brancos e nulos: 20%/não sabem: 3%)

Haddad 39% x 38% Bolsonaro (brancos e nulos: 20%/não sabem: 3%)

Ciro 39% x 35% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 3%)

Ciro 41% x 35% Marina (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)

Marina 38% x 37% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 2%)

Marina 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)

Alckmin 43% x 29% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)

3 Comentários

Deixe uma resposta