DATAFOLHA: Haddad cresce após escândalo do Caixa 2 de Bolsonaro, 44% a 56%

Acaba de ser divulgada a terceira pesquisa Datafolha para o segundo turno das eleições presidenciais que ocorrerão no domingo (28). Foram entrevistadas 9.184 pessoas entre os dias 24 e 25.

A pesquisa confirmou os resultados do Ibope (23) e mostra Haddad crescendo no 2º turno e Bolsonaro em queda, após escândalo do Caixa 2 e radicalização autoritária de Bolsonaro.

Segundo o Datafolha, Bolsonaro tem 56% de intenções de votos válidos, contra 44% de Haddad. A diferença entre os candidatos caiu 6% em relação ao levantamento anterior (18), que mostrava 59% a 41%. A rejeição de Bolsonaro subiu 3 pontos e chegou a 44%, enquanto a de Haddad oscilou de 54% para 52%.

Reflexo de um período de exposição negativa do candidato do PSL, essa é a mudança mais expressiva na curva de intenções de votos válidos para o segundo turno divulgadas até então.

Histórico das pesquisas

A primeira pesquisa divulgada para o 2º turno foi a Datafolha do dia 10. O levantamento mostrava larga vantagem de Bolsonaro, com 58% dos votos válidos contra 42% de Haddad. Dos votos totais, os números eram 49% para o capitão reformado e 36% para o petista. Brancos e nulos eram 8% e 6% não sabiam em quem votariam.

No dia 15 saiu a pesquisa do Ibope, na qual Bolsonaro teve 59% e Haddad 41% dos votos válidos. Dos votos totais, Bolsonaro tinha 52%, Haddad 37%, brancos e nulos 9% e 2% não sabiam. A rejeição do capitão era de 35%, enquanto a de Haddad foi 47%.

O mesmo cenário se repetiu na Datafolha divulgada dia 18. Com 59% dos votos válidos, Bolsonaro venceria Haddad, que tinha 41% das intenções. Dos votos totais, o candidato do PSL tinha 50% e Haddad 35%. Brancos e nulos chegaram a 10%, enquanto outros 5% não souberam responder. A pesquisa mostrou que a rejeição de Bolsonaro era 41% e a de Haddad 54%.

No mesmo dia da divulgação dessa pesquisa (18), o jornal Folha de S. Paulo revelou práticas ilícitas no uso das redes sociais por parte da campanha do Bolsonaro. Em sua edição, a Folha mostrou que empresários teriam bancado a compra de distribuição de mensagens contra o PT via whatsapp, em uma prática de disparos em massa de mensagens, e que uma nova operação estaria sendo preparada antes do fim do segundo turno.

Ainda, no domingo (21), viralizou nas redes sociais um vídeo no qual o deputado Eduardo Bolsonaro afirma que, em caso de contestação de uma vitória de seu pai nas eleições, bastaria um soldado e um cabo para fechar o STF. Como ataque a democracia, o conteúdo da fala foi condenada por diversos setores da sociedade, até mesmo por alguns ministros do Supremo.

No dia 23, então, saiu novo Ibope, primeira pesquisa após a divulgação do escândalo do caixa 2 do Bolsonaro. As repercussões foram negativas para Bolsonaro. Com 57% das intenções, caiu em relação a todos os levantamentos anteriores. Haddad, por sua vez, apresentou crescimento de 2% e chegou a 43% das intenções de votos válidos.

Em relação ao Ibope do dia 18, a rejeição dos candidatos seguiu a mesma tendência: a de Bolsonaro foi de 35% para 40%, enquanto a de Haddad recuou 6%.

 

1 Comentário

  • Por quê tantos se reúnem para tentarem destruir a imagem de um presidenciável que não tem as garras da Corrupção lhe bloqueando os passos? Diz NÃO as alianças com políticos fraudadores? NÃO à rede globo? Resposta simples: A NECESSIDADE que vcs tem de ver o país mergulhado na Corrupção , é o que garante o poder e a fortuna à vcs ; data Folha, Ibope, folha de são Paulo…sites como esse, como URBS magna, balaio, CUT; enfim a reunião vdo que há de mais podre para impedir o avanço do Brasil.

    0

    0

Deixe uma resposta