CIRO GOMES: A demissão de Mandetta e a crise do coronavírus

Compreendo com meu coração a carência de nosso povo por heróis ou até meros bons exemplos. Neste sentido toma contornos de muita irresponsabilidade e desrespeito ao povo a demissão do ministro da saúde no momento em que a pior crise de saúde pública de nossa história moderna apenas se prenuncia. E o motivo foi torpe e miúdo, como torpe e miúdo sabe como ninguém ser, o sr. Jair Bolsonaro: inveja e politicagem as mais vis! Isto dito, também fico chocado com a demissão de Mandetta embora o jogo à beira do abismo já estivesse passando da conta.

O que importa agora, como sempre, para mim, não é mais a contradição entre as opiniões de Bolsonaro e do ministro demitido sobre isolamento social, mas o que o GOVERNO fez, deixou de fazer e, muito mais grave, o que TEM QUE SER FEITO!

1. ISOLAMENTO SOCIAL RADICAL E SEM DUBIEDADE porque: o Brasil tem 208 milhões de habitantes, se apenas 1 em 10 se contaminarem, serão 20 milhões de pessoas infectadas, se apenas 5 em cada 100 adquirirem a forma grave (infecção respiratória aguda) serão, para ficar em números redondos , 1 milhão de brasileiros precisando de internação e cuidados semi intensivos ou UTI. Desta última só temos no Brasil 44 mil leitos ( na rede publica apenas 20 mil ). Na cidade com maior número de leitos de UTI , São Paulo, mais de 70 em cada 100 destes leitos JÁ ESTÃO OCUPADOS e a infecção apenas nos últimos dias avançou para a periferia. Estes números terríveis estão bem piores no Brasil com um todo. Ganhar tempo para que este milhão de infectados graves não aconteçam todos nos próximos meses é questão de vida ou morte para dezenas de milhares ou CENTENAS DE MILHARES de pessoas! Quem vacilar nesta constatação deve ser considerado assassino e genocida!

2. TESTAR EM MASSA, porque: o Brasil é o País do MUNDO que menos testou até aqui. Sem teste, tudo o que sabemos é um retrovisor que olha o fato consumado e apenas nos diz da velocidade dos resultados dos testes, não dizem nada das informações epidemiológicas necessárias ao planejamento da reação à pandemia, seus custos, os prazos de confinamento, sua seletividade ou tempos de descompressão. Não temos testes no Brasil e não os importamos a tempo nem da forma politicamente necessária, ao contrário , este governo abriu uma crise diplomática com a China, único pais do mundo que tem excedentes destes insumos.

3. RESPIRADORES, RESPIRADORES, RESPIRADORES, porque: a doença em sua versão grave mata por sufocamento, por afogamento, é uma morte horrível , se concentra entre mais velhos e portadores de comorbidades mas mais de um terço das mortes já alcança pessoas com menos de 59 anos! O Brasil não importou no tempo correto estes respiradores e quando tentou tardiamente caímos no problema do fornecimento chines já descrito. É imperativo que o governo assuma o controle ( negociado se possível ) de uma indústria capaz de uma reconversão urgente adotando inovações que nossa academia já produziu.

4. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO EM MASSA porque: os profissionais de saúde e das outras categorias de serviços essenciais, públicos ou privados, estão trabalhando no limite da falta de equipamentos de proteção. O Brasil não importou na hora própria nem muito menos na quantidade necessária que agora deve ser também distribuída em centenas de milhões Para o máximo de população (máscaras neste caso).

5. LEITOS DE UTI EQUIPADOS E SERVIDORES TREINADOS porque: o governo do Brasil não viu a necessidade de velocidade e de escala necessários para instalar leitos de UTI no volume que, já estava claro em muitos estudos no principio de março, iremos precisar. O Brasil não tem os equipamentos necessários e não os importamos no tempo devido e agora temos problemas graves já descritos na questão da China.

6. RENDA MÍNIMA DE SUBSISTÊNCIA ESTENDIDA NO TEMPO NECESSÁRIO porque: qualquer pessoa minimamente séria sabe que os efeitos sócio econômicos desta pandemia não estarão nem remotamente superados em 3 meses e este é o prazo para a vigência da ajuda de R$600 aprovada pelo Congresso Nacional. O efeito fiscal, ou seja, o dinheiro todo necessário para sustentar esta ajuda minima pelo mínimo de tempo exigido, é uma fração da criminosa autorização votada no congresso de uma emenda à constituição que autoriza a compra ( com dinheiro público ) de até, estima-se, R$ 930 bilhões de reais, de títulos podres que estão na contabilidade dos bancos privados!

Por Ciro Gomes

CIRO GOMES A demissão de Mandetta e a crise do coronavírus

8 Comentários

Deixe uma resposta