Faleceu Raphael Martinelli, histórico militante sindical brasileiro

Faleceu hoje, 16 de fevereiro de 2020, o histórico líder sindical e militante das causas populares, Raphael Martinelli.

De família operária, o paulistano nascido no bairro da Lapa, em 1924, começou a trabalhar aos 12 anos na São Paulo Railway como aprendiz de escriturário, se tornando ferroviário e líder sindical da categoria nos anos 50, quando passou a integrar o Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) com o apoio do Partido Comunista Brasileiro (PCB). Em 1958, se candidatou a deputado federal pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), não tendo sido eleito, mas se projetando como líder nacional de sua categoria.

Nos anos 60, tornou-se presidente da Federação Nacional dos Ferroviários. Amigo do presidente João Goulart e de sua família, Martinelli dirigiu uma heróica greve dos ferroviários logo após o Golpe de 1964, sendo perseguido pela ditadura em seu primeiro momento, mas escapando da prisão nessa fase. Três meses antes do Golpe, realizara congresso com mais de 400 ferroviários, no qual foi defendido o apoio à federalização das ferrovias do país.

Na clandestinidade, se juntou a Carlos Marighela na formação da Aliança Libertadora Nacional (ALN), sendo preso em 1970 pela Operação Bandeirante (Oban). Foi submetido a torturas no DOI-CODI e DEOPS, permanecendo, posteriormente, encarcerado por mais de três anos no Presídio Tiradentes.

Na década de 80, se formou em Direito e atuou na fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Em 2001, foi um dos fundadores do Fórum de Ex-Presos e Perseguidos Políticos do Estado de São Paulo e, em 2009, participou da criação do Núcleo de Preservação da Memória Política.

O falecimento desse companheiro que devotou toda a vida à luta dos trabalhadores do Brasil é uma perda inestimável a ser lamentada por todos os que se dedicam à causa da libertação do povo brasileiro.

Raphael Martinelli, presente!

Deixe uma resposta