GABRIEL CASSIANO: Nota de esclarecimento

Escrevo essa nota de esclarecimento para me desculpar com toda a militância e os dirigentes do PDT por atitudes que por ventura possam ter prejudicado o partido.

Através dela, anuncio meu afastamento voluntário e temporário de minhas funções como dirigente do PDT em São Paulo para proteger nosso partido, descansar após tão exaustiva e intensa campanha eleitoral e pleitear minha defesa dentro da denúncia junto ao conselho de Ética da JS a qual explanarei de forma tranquila os reais acontecimentos e amparado nos fatos que realmente ocorreram, além de contar com a voluntária subscrição de grandes juristas do país e ter a serenidade de não ter cometido ato que estatutariamente justifique minha condenação.

Ontem (02/12) ocorreu a ocupação do Diretório Estadual do PDT em Fortaleza por integrantes do movimento por moradia ligados ao PCB. A despeito da tática rasteira e oportunista dos herdeiros de Roberto Freire, as lideranças trabalhistas do Ceará souberam com maturidade e serenidade lidar com a situação, cujo feliz desfecho conhecemos hoje por meio da declaração do prefeito da capital, Roberto Cláudio.

Na ocasião, movido por um legítimo amor ao trabalhismo e por uma justa ojeriza ao oportunismo deste partido hoje satélite do PT, exaltei-me e fiz declarações infelizes que resvalaram na imagem de meu Partido e de Getúlio Vargas. Tais declarações poderiam dar a entender que o maior presidente da história do Brasil pudesse ter qualquer espécie de sentimento fascista ou anti-comunista.

Não é verdade.

Tanto não o é que o Getúlio Vargas e seu Partido, o PDT, abrigaram socialistas e nacionalistas democráticos de todos os matizes ideológicos, comprometidos na luta pela soberania nacional, pelos direitos humanos e pelos Trabalhadores do Brasil. O próprio Luís Carlos Prestes passou os últimos anos de sua longa vida militante como Presidente de Honra do PDT.

Além das declarações, outros jovens militantes do PDT-SP engajaram-se em uma retórica que, descontextualizada, poderia levar a entender que viceja algum tipo de autoritarismo em nossos quadros.

Isso também não é verdade.

Se esses militantes escreveram mensagens agressivas, extravasando sem medir as palavras um sentimento de revolta que foram tomados esse dia por esses eventos descritos, é por que acreditavam que estavam num ambiente seguro, sem infiltrados ou espiões. Essas declarações, a maioria irônicas ou bravateiras, foram editadas e publicadas recortadas de forma a agravarem uma conversa entre militantes de juventude. A conversa original será apresentada internamente no processo que apurará o crime de violação de correspondência e exposição de menores cometido, e pior, a falta ética inaceitável de expor conversa privada de companheiros de partido.

Não acredito que nosso grupo de WhatsApp seja muito diferente de qualquer grupo de WhatsApp de militantes de juventude de qualquer outra organização de esquerda que diz coisas como “Stálin matou foi pouco” ou “Trotsky tinha que ter trucidado a Alemanha”.

Criminosa é a tática que se apoia em traição e espionagem para destruir outros partidos de esquerda, com “vazamentos” que lembram muito os métodos da Lava Jato. Apesar disso, era só um grupo de juventude revoltado com um ato de violência: não há qualquer simpatia pela violência ou pelo fascismo no PDT de São Paulo.

Mas não posso deixar de reiterar: errei.

Errei ao me deixar levar pela provocação pueril de um youtuber vazio cujo único conteúdo é um radicalismo retórico e incoerente. Errei ao me posicionar sem consultar as devidas instâncias partidárias, que já entabulavam negociações em Fortaleza. Errei ao não ter ajudado a desarmar o conflito artificial criado pelo PCB e sobretudo errei ao não reconhecer que minha posição na juventude de meu partido requeria mais cautela mesmo nas comunicações que acreditei serem privadas.

Que meu erro sirva de lição para todos os militantes trabalhistas. Escutem o Partido. Respeitem suas instâncias. Não exponham os companheiros. E, sob nenhuma hipótese, deixem-se levar pela autoindulgência individualista das redes sociais, que moem o que há de humano em nós. A força de um Partido reside em sua coletividade.

Confiante que meus anos de lealdade e dedicação ao partido, sempre cumprindo integralmente e com ímpeto audaz sua decisões, sejam levados em conta por meus companheiros na hora de receber este pedido de desculpas,

canto mais uma vez:

“Viva a Juventude Socialista PDT!”, “Viva Getúlio Vargas!”, “Viva a soberania nacional!” e “Viva a Emancipação de nosso povo”.

gabriel cassiano pdt

6 Comentários

  • Faltou mais um pouquinho de humildade, mas já é um começo!✊🇧🇷🌹

    2

    2

  • Parabéns pela declaração e postura de reconhecimento de erro, estou com o Cassiano, tem e terá meu total apoio

    3

    2

  • “Tais declarações poderiam dar a entender que o maior presidente da história do Brasil pudesse ter qualquer espécie de sentimento fascista ou anti-comunista.
    Não é verdade.”
    Não é verdade que o Vargas era anti-comunista não, ele só inventou uma tortura pior que as dos fascistas para usar contra os comunistas e mandou a Olga grávida pros nazistas matarem porque ele era comunista.

    Deixa de ser mentiroso, Cassiano. Desonestidade histórica é muito feio.

    2

    1

  • Parabéns pela atitude humilde de se desculpar, que somente as pessoas dignas e honradas possuem. Certamente o Conselho de Ética entenderá que você ainda está cansado da campanha recente e num momento de indignação acabou não conseguindo se fazer entender. Infelizmente, os opositores se aproveitaram para distorcer o assunto e causar polêmica. As atitudes de alguns membros do PDT em criticar o companheiro em público, a meu ver, também são questionáveis. Abraços.

    1

    1

  • Desde fora, parece pouca coisa, pensei que ele estivesse metido em corrupção.
    Já aprendeu a lição, bolsa pra frente garoto, o país precisa de você!

    0

    1

Deixe uma resposta