O grande erro das universidades

Em plena era digital, não divulgar seu sucesso, não promover suas vitórias, propagandear seu esforço e espalhar seus feitos é um grande erro. O povo brasileiro não sabe o que se produz dentro das Universidades, mal sabe quais cursos são oferecidos. A classe média sabe que seu filho tem que entrar, afinal é o melhor ensino oferecido, mas não sabe exatamente o porquê.

Não têm a menor ideia do que é uma Universidade em números, quantos cursos de bacharelado e licenciatura? Quantos Mestrados e Doutorados? Quantos alunos? Quantos entram e quantos se formam? Quantos professores? Quantos tem Mestrado, Doutorado e Pós-doutorado? Há quantos Laboratórios? Quantos grupos de pesquisa? Quantas revistas científicas? Quantos artigos são publicados por ano? Quantas e quais são as atividades de extensão?

Não divulgar permanentemente estes resultados é o grande erro das Universidades. Não podemos apenas acreditar que as pessoas confiam em nosso trabalho. As Universidades estão sob ataque e precisam entrar na guerra digital e divulgar a VERDADE. Sim, gastar com divulgação não é uma bobagem, é um gasto indispensável. A sociedade precisa nos conhecer.

Afinal, diante da ignorância é fácil fazer prevalecer uma versão falsa da Universidade, a de que as Universidades são um desperdício, ou de que o custo é muito maior do que o benefício, ou que as Universidade são um gasto e não um investimento.

É fácil fazer prevalecer a versão de que os professores trabalham pouco, pois a grande maioria acha que professor universitário trabalha apenas durante as aulas, isto é, dentro de sala de aula, e não sabe que a maior parte do nosso trabalho é feita fora de sala.

É fácil fazer prevalecer a versão de que os alunos das Universidades são folgados por que “só estudam”. Só estudam? Estudar é a coisa mais importante para exercer uma profissão bem, com competência e diligência.

É fácil fazer prevalecer a versão de que o que se produz na Universidade é inútil já que o resultado não reverte em ganho para a Universidade, mas para a sociedade sendo difuso e de longo prazo.

É fácil fazer prevalecer a versão de que na Universidade não há critérios,que qualquer trabalho está bom, ou que basta agradar a “ideologia” do professor. Não sabem que o conhecimento tem objeto e método, não se confunde com opinião.

Agora, se os alunos não encontram emprego depois de formados, isto não é um problema da Universidade, muito menos da formação que receberam, mas da maneira como a economia do país está sendo gerida. Só que é fácil fazer prevalecer a versão de que isto também é responsabilidade da Universidade simplesmente por que não respondemos de volta.

As Universidades precisam se unir e divulgar seu trabalho para a sociedade.

Por Nathalie de la Cadena

5 Comentários

  • Apenas acrescento ao teu comentário que a universidade há muito tempo esqueceu seu papel na comunidade onde se instala. As cercas, as câmeras, os seguranças que guardam (não sei o que) acabam por gerar uma repulsa da comunidade geral à cátedra. É importante levarmos as pessoas para dentro da universidade, mesmo sendo essas não pertencentes a tríade acadêmica (discente- técnico – docente). Precisamos entrar nos bairros e sair do campus, e vice-versa.

    1

    0

  • Hoje em dia é fácil construir pontes com a população. Façam isso!

    1

    0

  • Os catedráticos precisam sair de suas catedrais.

    0

    0

  • Parte do erro esta na visão atrasada de comunicação que os setores responsáveis tem nas universidades. A grande maioria são chefiados por servidores com décadas de serviço e que não se atualizaram de fato para a comunicação digital. Da parte dos pesquisadores eles se preocupam apenas em publicar nas revistas científicas. Tem universidade federal que até outro dia não mantinha uma conta de facebook e twitter ativa.

    0

    0

Deixe uma resposta