Gripezinha já matou 200 mil brasileiros

Sentenciada pelo Jair Bolsonaro a tal gripezinha, que devemos enfrentar como homens, já vitimou mais de 200 mil brasileiros. Somos o segundo país no mundo com maior número de mortos, ficando atrás apenas dos EUA que tem mais de 350 mil.

Evidentemente que a maior e a mais grave crise do século XXI tem castigado e matado milhares mundo afora, até porque, não se trata de uma gripezinha, mas sim de um vírus traiçoeiro, e muitas das vezes, mortal.

Nos EUA o quase ex-presidente Donald Trump negou a gravidade, negligenciou os cuidados e tomou um pé na b… do povo que não o reelegeu. Pagou o preço incalculável de mortos e vitimados pela Covid-19. Contudo, já os norte-americanos aprovaram vacinas e em uma corrida contra o tempo estão vacinando sua população, ao mesmo tempo em que continuam contando seus mortos com mais de 2.500 pessoas por dia.

Aliás, vários países do mundo correm para vacinarem suas populações tentando controlar a voracidade pandêmica.

Aqui contamos com o cinismo e com os atos criminosos e hediondos do presidente Jair Bolsonaro e sua trupe de digitais mortíferas e insanas somado à incompetência em gerir e conduzir o país.

Palavra de ordem corrente no desgoverno é sabotar, ou seja, aliar-se sem pudores ao vírus e minimizar propositalmente suas consequências, que no caso mais grave, é a morte, e já atingimos mais de 200 mil brasileiros.

Nota-se nas ações e omissões de Jair Bolsonaro o inequívoco desprezo que ele tem com as vidas perdidas e com seus familiares enlutados. Suas “palavras” quando proferidas, calculadamente, soam e sintetizam hipocrisia e falsidade.

Todas as recomendações da ciência são metodicamente sabotadas e ignoradas por Bolsonaro que, debochadamente, insulta e insufla suas facções de acéfalos que conjecturam e propagam a Covid-19 como gripezinha ou como guerra política.

Precisamos urgentemente de um governo, de ações coordenadas, de VACINAS.

Basta de sabotagens criminosas, de tributos à ignorância, de negacionismo inconsequente, de cinismos politiqueiros, e de tanta incompetência e desumanidade.

Os tribunais criminais, assim como o julgamento da história, encarregar-se-ão de clarear tamanho obscurantismo contemporâneo.

Bolsonaro e seu bando de apedeutas e vassalos da extrema indignidade, de ideologia facínora, negacionista, e da Idade Média responderão pelos seus atos.

Às famílias enlutadas cabem a solidariedade e os mais sinceros sentimentos.

Àqueles que ficam cabem, urgentemente, a vacina, a ciência, a humanidade e a justiça.

Por: Henrique Matthiesen.
Bacharel em Direito
Pós-Graduado em Sociologia

Por Henrique Matthiesen - Sentenciada pelo Jair Bolsonaro a tal gripezinha, que devemos enfrentar como homens, já vitimou mais de 200 mil brasileiros. Somos o segundo país no mundo com maior número de mortos, ficando atrás apenas dos EUA que tem mais de 350 mil.

1 Comentário

  • […] Por Antonio Neto – Diariamente acordamos com algum vídeo nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro ou de seus apoiadores receitando o uso da cloroquina para o tratamento da Covid-19, mesmo sem nenhuma comprovação científica ou aprovação da OMS (Organização Mundial da Saúde). Tal irresponsabilidade levou o governo brasileiro a produzir milhões de comprimidos do medicamento por meio do laboratório do Exército (inclusive com denúncia de superfaturamento de 167% no preço dos insumos, investigada pelo Tribunal de Contas da União) e acirrou ainda mais a politização de uma crise sanitária que já ceifou mais de 200 mil vidas no Brasil. […]

    0

    0

Deixe uma resposta