Grupo Globo e Bolsonaro: tá tudo dominado

1. O Grupo Globo (GG) – devido ao seu poder de “produzir subjetividades”, de “pautar a sociedade”, de construir e destruir reputações, de intimidar os três poderes etc. – é a principal força política do país.

2. Desde a assim chamada “Redemocratização” – com a notável exceção de FHC –, o GG vem mantendo os presidentes da República debaixo de seu tacão, exigindo-lhes o cumprimento de sua agenda econômica de caráter neoliberal.

3. E todos os governos – de uma forma ou de outra – se submeteram à agenda neoliberal. Mesmo Lula e Dilma, com seus ministros Henrique Meirelles e Joaquim Levy, cada um a seu modo, se curvaram diante do “diktat” informal que vem nos sendo imposto pela plutocracia rentista.

4. A partir do governo Temer, o GG vem adotando o expediente que o jargão da “guerra híbrida” chama de “dominação de espectro total” (“full spectrum dominance”).

5. Com isto, o GG quer ser a principal força da situação e da oposição, ao mesmo tempo!

6. Como não reconhecer que o GG vem obtendo êxito neste empreendimento de “dominação de espectro total”?

7. Como negar que o GG vem sendo o mais ferrenho defensor do governo (leia-se Paulo Guedes e Sergio Moro) e o mais ferrenho opositor do governo (leia-se Jair Bolsonaro e seus “aloprados”).

6. Nestes últimos dias, a técnica da “dominação de espectro total” empregada pelo GG atingiu o seu ápice…

7. Às vésperas de um dos maiores ataques contra os interesses nacionais do povo brasileiro de nossa história republicana – a entrega de quatro campos nobres do Pré-Sal, com reservas comprovadas de 15 bilhões de barris de petróleo, localizados na chamada “Cessão onerosa”, entusiasticamente apoiada pelo GG –, o jornalismo do grupo tirou da cartola um vazamento cujo conteúdo associa Jair Bolsonaro com o assassinato de Marielle e Anderson.

8. O GG vem ocupando todo o espaço político disponível – “dominação de espectro total” –, “pautando”, a um só tempo, a situação e a oposição.

9. O GG “pauta” a situação, apoiando a agenda de Paulo Guedes e Sergio Moro e intimidando o Congresso para que as aprove com o mínimo de emendas possível.

10. O GG “pauta” a oposição, determinando os termos com os quais o combate a Bolsonaro deve se dar.

11. Para o GG, as ruas podem (e devem) se mobilizar contra Bolsonaro, jamais contra Guedes e Moro. E assim, fica tudo dominado.

12. Eu disse acima que o GG é a principal força política do país. Faltou dizer que – quando a principal força política de um país não é um partido político e que não há oposição ao seu poder – isto caracteriza uma situação de ditadura…

Por Luiz Carlos De Oliveira e Silva

Deixe uma resposta