A troco do quê Haddad se lança à Presidência agora?

Poucas iniciativas poderiam ser mais fora de hora e lugar do que o ambíguo pré-lançamento da candidatura presidencial de Fernando Haddad. A história, segundo o inimitável 247, surgiu de uma conversa com o ex-presidente Lula. A ambiguidade está numa postulação condicionada à possibilidade legal de Lula ser ou não candidato.

Cabe perguntar: a que se deve o insólito anúncio diante de quase 230 mil mortos pela pandemia e da acachapante derrota sofrida pela oposição nas eleições para a direção do Congresso Nacional? Qual o projeto de Fernando Haddad para o Brasil? O que ele pensa do auxílio emergencial? O que ele pensa da questão do emprego? Da indústria? Da organização do Estado? Do papel dos militares? Do futuro?

Difícil saber. Ao longo de dois anos, o ex-prefeito manteve coluna semanal na Folha de S. Paulo, na qual desdobrava-se num esforço continuado para não tocar no mundo real.

O pré-lançamento é manobra diversionista para as oposições e cria arestas ao debate conjunto de ações, alianças e rumos para o país. Dissemina a ideia de que tudo o que o PT tem a propor diante da hecatombe é fugir de 2021 e pensar em 2022. Desvia atenções, num ano que se afigura dificílimo para o povo brasileiro.

Para Bolsonaro, o lançamento vem a calhar. O boçal passa a ter à disposição um alvo visível para suas investidas criminosas em lives e conversas no curral da entrada do Palácio.

O pré-lançamento é desserviço de primeira para a oposição democrática. Tomara que integre o conjunto de fake news que nos rodeia cotidianamente.

A troco do quê Haddad se lança à Presidência agora?

2 Comentários

  • Excelente artigo. Desnuda o “inimitável 247” e o ex-prefeito de São Paulo.

    2

    0

  • Quando comecei a militar na política, o PT usava contra o seu então adversário local a consigna sempre à mão: vota-se em partidos, em projetos, não em pessoas. O adversário era o Brizola.
    Quem te viu, quem te vê… Onde fomos parar.
    Por outro lado, não adianta reclamar do 247. É uma globonews de ‘esquerda’. Um diz sim, o outro amém. A ‘novidade’ por lá nos últimos dias é a volta do MDB como golpista repaginado. Deve ser o tal outro lado sendo ouvido. Sem comentários.
    Já passou da hora de se organizar um site de lives rotineiras, com quadros não-petistas, mas sem a exclusão desses. A hora está mostrando que é viável e repercute. Tínhamos algo assim com o PHA, e agora, em parte, com o Nassif.
    Falta-nos, desde 2013, pedagogia e real debate de ideias. E isso não virá (tão somente) do PT, que sopra dentro da própria bolha. Como de hábito, pensa uma hegemonia de exclusão, e não de real qualificação, de elevação do campo progressista.
    Aliás, era ótimo o seu debate com o Capelli na Fórum e, por isso mesmo, aposto, se acabou rs.

    3

    0

Deixe uma resposta