Feliz Natal? Se preciso, que incendiemos o país em nome da JUSTIÇA

Texto escrito no dia 18 de novembro de 2018

Escrevi esse texto pouco tempo depois que Bolsonaro foi eleito presidente da República e o reproduzo agora:

De passagem num boteco, já puto, pois nesse momento vagabundo desse país, ou você tá dormindo ou tá puto, pra pegar meia dúzia de cervejas que me garantam um par de horas leves, quando eu me deparo com uma “discussão política”, entre aspas mesmo, você vai entender o motivo:

CIDADÃO 1: Viu Jorge? O mito já expulsou aqueles escravos cubanos. ‘Isso’ nem médico era. Era tudo guerrilheiro do Fidel mamando na teta do nosso dinheiro. Vagabundos…

CIDADÃO 2: Verdade, e os caras recebiam 1/3 do salário. E os esquerdistas acham o máximo. A mamata acabou. Ô Serginho, desce mais uma aqui porra, não tá vendo o copo vazio?

EU: Pera aê rapaziada, os caras são guerrilheiros ou são escravos? Os dois não dá né. E ganhavam 3 mil e pouco por mês. Desde quando escravo recebe pelo trabalho? Serginho, tu ganha qto aqui?

SERGINHO (mais puto que eu): Aqui eu ganho 900 contos, e olhe lá. De sol a sol. E um amigo meu diz que lá em Cuba tem hospital e estudo pra todo mundo de graça…Queria eu ser um desses “escravos cubanos”…

CIDADÃO 2: Ah Serginho, mas é diferente, tu é livre. Lá o Fidel faz a família de refém e obriga o cara a vir!

EU: Opa, não, meu amigo. Foi voluntário, só vieram os cubanos que que quiseram, mesmo. E inclusive o Fidel já morreu, pô rs…

CIDADÃO 2: Pelo que os ‘cara’ me mandaram aqui no celular, não é isso não….

SERGINHO: Sou livre? Eu fecho aqui meia-noite. Chego em casa daqui a duas horas. E se eu não estiver aqui amanhã às 06h, perco o trampo.

EU: Mas pera aí Serginho, se tu leva duas horas pra voltar, tu leva duas horas pra vir. Então tu vai dormir duas horas essa noite? Eu tô fazendo a conta certa?

SERGINHO: É isso aí, patrão. Essa é a minha liberdade. E com filho pequeno em casa pra criar…

CIDADÃO 2: Tb né Serginho, quem mandou não estudar? Hehehe (fiquei mais puto…)

SERGINHO: Na minha cidade nem luz tinha, quanto mais escola. Vim pra São Paulo com 12 anos e já comecei a trabalhar, não deu pra estudar não, Jorge. E o primeiro médico que pisou na minha cidade era um desses ‘cabras’ cubanos. Povo lá amava o ‘dotô’ de paixão. Tá todo mundo arrasado por lá. Povo daqui de São Paulo não sabe como é na roça, lá a gente enterrava criança igual vocês bebem cerveja aqui. Isso antes do PT né…

CIDADÃO 2: Ah, Serginho, não vem com papo de petista não, eu acho que cada um tem o que merece! Quem corre atrás consegue. Se tu tá na merda é porquê não foi à luta…e pega minha cerveja logo aí porra! Petista é foda, não gosta de trabalhar…não tô aqui pra escutar tuas histórias…por isso que você tá aí, se trabalhasse ao invés de reclamar, não tava fudido!

Silêncio desagradável no bar. Minha cerveja já chegou. Paguei. Agradeci ao Serginho, que notei, estava com os olhos marejados. E humilhados. E eu que coloquei o cara na conversa, pensei comigo.

Virei pro CIDADÃO 2 e perguntei: por curiosidade, o senhor trabalha com o quê?

R: “Cuido dos negócios da família. Negócio de imóvel. Desde novo. Agora tô passando pro meu filho, por que?”, respondeu, todo orgulhoso.

Já saindo, disse: “por quê? Porquê você é um FILHODAPUTA. Por isso”.

Caixa alta mesmo, já que eu aumentei a voz pra desengasgar.

Ele se exaltou: “Me respeita seu moleque!”, gritou se levantando do balcão, trêbado.

No que eu rebato: “Respeito?? Vc não respeita ninguém, seu merda! Vai tomar no seu cú! Abraços, Serginho. Obrigado, irmão”.

Saí já me arrependendo. Exagerei, não gosto de xingar ninguém, sei que ódio só traz mais ódio, etc…E olhei pra trás.

Lá atrás do balcão tava ele, Serginho, ainda com os olhos marejados, mas com aquele olhar de gratidão humilde que faz chorar qualquer ser humano que tenha empatia pelo próximo, me olhando e balançando o punho cerrado em minha direção, meio disfarçado.

Arrependimento foi embora. Usei o jeito errado. Mas fiz o certo.

Porque aquele pai de família que vai dormir duas horas hoje e que é humilhado todo dia, hoje pelo menos vai pra casa sabendo que tem pelo menos um “playboy” que não é um “filhodaputa” nessa bosta que a gente tá mergulhado. Tem alguém que tenta entender a luta desse cara. Ou pelo menos respeita.

E eu, que tava preocupado em ter as minhas duas horas leves….fiquei foi puto comigo mesmo. Egoísta. Fiquei mais puto, mais triste, mais desesperançoso, mas também com mais sangue nos olhos.

Não há tempo pra nós, privilegiados, cada um a seu jeito, estarmos cansados. É tempo de coragem e de botar a cara. De sair da zoninha de conforto de cada um de nós.

Sim, pois o que são meus problemas e minhas depressões filosóficas perto de um pai que vai dormir DUAS HORAS essa noite, pra ganhar mil reais e não MORRER DE FOME?

Eu não tenho o direito de me lamentar.

Tenho é a obrigação de lutar.

Teve um cara que disse uma vez:

“Se o seu corpo treme de indignação perante uma injustiça, em qualquer lugar do mundo, então somos companheiros”.

Então, somos companheiros, Serginho.

Desculpem os palavrões.

Hoje não deu.

Abraços.

Feliz Natal? Se preciso, que incendiemos o país em nome da JUSTIÇA

___

Reproduzi esse desabafo pra lembrar aos irmãos e irmãs que se frustraram nessas eleições e que estão desesperançados: não temos tempos pra depressões filosóficas. De lá pra cá, TUDO piorou.

E só vai piorar ainda mais, a não ser que a gente se una e vá a luta, “mermão”.

Vocês sabem por onde ando e onde cerro fileiras. E conclamo a todos os brasileiros e brasileiras, irmãs e irmãos: vamos juntos. Pelo amor de Deus. E em nome dos milhões de Serginhos e Serginhas espalhadas pelo Brasil em colapso.

Em tempo: um Feliz Natal a todos e todas. Mas não há muito o que celebrar nesse momento. Que nos inspiramos em Jesus, que dividiu o pão, se levantou contra a injustiça e que foi assassinado pelos fascistas de sua época. E aí? Quem tá disposto a dar a vida pelos seus irmãos e irmãs?

Quem me conhece sabe muito bem que eu sempre estive. E a cada covardia, é gasolina no meu tanque. Se precisar, que incendiemos sim o país. Tudo em nome da JUSTIÇA!

Feliz Natal? Se preciso, que incendiemos o país em nome da JUSTIÇA

 

6 Comentários

  • Excelente, texto! Somos milhares de Serginhos tendo que engolir a seco esses privilegiados que não agregam nada para o Brasil.

    2

    0

  • Otimo texto meu irmão.
    Compartilho de seus convicções e as apoio.
    Na esperança de que esse texto chegue a mais pessoas, vou compartilhar.
    Estou junto nessa luta.
    Feliz Natal e um 2021 de lutas e vitorias.

    2

    0

  • Obrigado Vinicius e Wellington! Vamos juntos à luta pra mudar esse país! Contem comigo como eu conto com vocês! ✊🏼

    0

    0

  • Pq o Serginho é obrigado a trabalhar em um emprego de merda como esse?
    Pq o PT ajudou a destruir a indústria nacional que paga os melhores salários só restando aos brasileiros trabalhos de merda no setor de serviços.
    Esqueceste dessa parte, Thiago?

    1

    0

  • Thiago, conte comigo, precisamos transformar nossa dor, nossa indignação em UNIÃO E FORÇA!
    E parafraseando Martin Luter king Jr: EU TENHO 1 PLANO!

    0

    0

  • IncedieMOS? Vai lá você e incendeia, amigo. Se é o que você acredita que precisa ser feito, vai lá e faz sozinho. Quem tenta induzir as pessoas a fazer qualquer coisa normalmente só quer arrumar um bando de otários para fazer o serviço sujo, enquanto o indutor fica confortável no ar condicionado e na frente do seu monitor. Lidere pelo exemplo, ou então toda essa sua indignação não passará de hipocrisia de vagabundo que, no fundo, só quer se aproveitar da indignação (verdadeira) dos outros.

    0

    0

Deixe uma resposta