Interdição do debate: a quem interessa?

1. Ciro Gomes – com a exceção de Roberto Requião – vem sendo, dentre os políticos de ponta, o único empenhado em trazer ao debate os temas de fundo da economia e da política.

2. O debate acerca destes temas ficou ausente durante todo o período onde a polarização entre PSDB e PT dominou o cenário político brasileiro, por interesse dos dois polos beligerantes.

3. Ciro vem lutando – e este é um dos seus tantos méritos, a meu ver – para quebrar o silêncio que nos foi imposto pela polarização anterior e que à nova polarização Lula-Bolsonaro interessa manter.

4. A Lula e aos próceres do PT interessam fugir do debate acerca das questões de fundo porque não lhes interessam assumir compromissos de modo a estreitar o campo de alianças, “engessar” um eventual governo ou assustar a plutocracia.

5. O importante para eles é deixar tudo em aberto, sem maiores compromissos com quem quer que seja. A geleia geral tornou-se uma das marcas mais saliente de Lula e do PT.

6. É esta fuga do debate que explica que a desconstrução de Ciro a que o petismo vem se dedicando com tanto fervor jamais faz referência aos diagnósticos e às propostas que o “coronel” vem divulgado há anos.

7. Ciro combate Lula e o petismo, pela esquerda, com base a diagnósticos e a propostas, e vem sendo combatido pelo petismo com base apenas em considerações despolitizadas de cunho pessoal.

8. De Ciro, só falam do seu caráter e nunca de suas ideias. Trata-se de uma estratégia…

9. Contudo, nas atuais condições, onde o país está sofrendo o maior ataque de sua história republicana, a manutenção do silêncio tão caro a Lula e aos petistas só interessa aos inimigos do povo brasileiro.

10. Quebrar o silêncio que interessou, no passado, à polarização PSDB-PT e que hoje interessa à polarização Lula-Bolsonaro é condição prévia para reunirmos condições de virar o jogo.

11. Trazer as questões de fundo para debate pode esclarecer o povo de que o nosso pior inimigo é o neoliberalismo e de que a oposição a Bolsonaro tem que assumir o compromisso expresso e público pela revogação das medidas da “contra-reforma”.

12. Será que é para fugir deste compromisso que o petismo jamais discute os diagnósticos e as propostas de Ciro, limitando-se a atacá-lo, depolitizadamente, do ponto de vista pessoal?

13. Eu, cá com os meus borbotões, não tenho qualquer dúvida quanto a isto… A Lula e ao petismo interessa a interdição do debate.

14. Para eles, tudo deve ficar, convenientemente, limitado à discussão em torno de personalidades, jamais de diagnósticos, propostas, programas, compromissos e ideias.

Por Luiz Carlos De Oliveira Silva

Deixe uma resposta