Lava Jato sequestrou o Brasil junto com Lula

Moro, que é chefe da PF, simplesmente decidiu que as entrevistas judicialmente autorizadas, depois de mais de oito meses proibidas – o que escancara prisão e sequestro políticos que Lula é vítima – serão não apenas da Folha e El Pais, por meio de Bergamo e Florestan Jr, mas de um conjunto de mídias que a PF escolheu, que obviamente são expressamente contrárias ao líder popular.

Isso é mais um ESCÁRNIO INCONSTITUCIONAL! Uma afronta absurda aos direitos de Lula de dar entrevista exclusivamente a quem ele quiser e autorizar.

Querem nitidamente tumultuar para prorrogar (e até evitar) que Lula tenha seu direito básico de liberdade de expressão, por meio de entrevistas, garantido.

Se Lula entrar com liminar denunciando a violência que está sendo submetido, abrirá uma brecha para ficar mais uma dúzia de meses com sua voz e imagem sequestradas. É uma sinuca de bico cruel e indigna que, mais uma vez, o Golpe impõe ao ex-presidente.

Ao mesmo tempo, Folha e El País, que são tão golpistas quanto Moro, podem muito bem estarem de conluio com toda essa patifaria, e, agora, tem nas mãos o poder de colocar água no evento do ano que, paradoxalmente, seria patrocinado por eles.

Ganham de qualquer jeito, porque já se colocaram como guardiões do direito de Lula falar e da imprensa entrevista-lo, no entanto, podem, agora,

1) costurar, como “vítimas”, uma entrevista coletiva autoritária e ilegal que teria objetivo de confundir e diluir o poder de oratória e convencimento monstruoso de Lula;
2) entrar com liminar exigindo o direito de exclusividade evidente que possuem, o que pode prorrogar indefinidamente tais entrevistas.

Percebem porque somente Lula tem capital político suficiente para abalar e trincar a estrutura do Golpe? A luta por sua liberdade não tem objetivo exclusivo de fazer seu direito individual ser consagrado, mas também, e tão importante quanto, de inspirar mobilização potente o suficiente para implodir as rachaduras que Lula provoca.

Goste você de Lula ou não, a mobilização por sua liberdade é prerrogativa para superarmos o inferno genocida, fascista e antipopular que estamos reféns.

Levantar a bandeira pela liberdade de Lula é sinônimo da extinção e punição da Lava Jato, etapa imprescindível para iniciar o reestabelecimento de uma agenda política minimamente popular e democrática.

Qualquer outra luta nesse momento é distração e manipulação de quem quer naturalizar o Golpe, ou seja, ser cúmplice da entrega e destruição dos direitos do povo e das riquezas nacionais.

Por Thais Moya

1 Comentário

  • A postura mostra quem é.
    A figura do autoritarismo, egocêntrica, possessivo, interesseira, escravagista e destrutiva. Personificado na postura do juiz fascista. Com a figura do acusado, meio desleixada mas humana de bondade, paz, liberdade e fraternidade social.

    0

    0

Deixe uma resposta