O desespero de Lula com as Martas do PDT

Em entrevista, recém-publicada pelo portal UOL, dada pelo ex-Presidente Lula, preso em Curitiba, aos jornalistas Flávio Costa e Leonardo Sakamoto ficou evidente o desespero de Lula frente ao avanço da estratégia do Partido Democrático Trabalhista, o PDT e, claro, do principal nome dos trabalhistas Ciro Gomes. Podemos destacar várias mensagens enviadas e algumas sandices que talvez depõem contra o estado espiritual e psicológico de Lula que tanto é exaltado como um mantra por quase todos que o visitam na prisão – menos por Mino Carta, da Carta Capital e Monja Coen.

Das sandices podemos dizer que a principal delas é o desejo externado por Lula de tutelar Ciro Gomes, a analogia usada é estarrecedora. O ex-presidente queria ser Dora, personagem de Fernanda Montenegro no premiado filme “Central do Brasil” para orientar Josué, vivido pelo jovem Vinícius de Oliveira, mas na analogia de Lula este seria Ciro. Acho que Lula não assistiu o filme todo, pois ele recorta a parte da redenção de Dora quando decide ajudar Josué a conhecer o pai, mas é a mesma personagem que o começo do filme mostra ganhando a vida escrevendo cartas para analfabetos, por dinheiro, sem nunca as postar. Ou seja, Lula se compara à uma pessoa que faz uma atitude louvável, em determinado momento da vida, mas que levou parte dela enganando os mais pobres para ganhar dinheiro. Sintomático? Soma-se a autoproclamação de Pelé da política. Eu nunca vi o Pelé se autoproclamar gênio do futebol; seria mais uma consequência do isolamento aos puxa-sacos?

Para além disso, Lula faz questão de mandar ordens para todo o Partido dos Trabalhadores, ele diz claramente que em SP, RJ e RS seu partido, aquém das boas lideranças progressistas de outras agremiações que lá estão, deve lançar candidato próprio e se não tiver nome que “procure um”. A cabeça de Lula só funciona na lógica eleitoral, ele representa o apequenamento político que parte considerável da dita esquerda, liderada por Lula/PT, se encontra; não tem mais qualquer outro tipo de princípio, horizonte ou debate, é tudo meramente eleitoral, sem conseguir mais se distinguir dos seus adversários históricos. Prova disso é sua resposta se o PT terá candidato em 2022 o ex-presidente afirma que “só o PT tem direito de ter candidato no primeiro turno, teoricamente”.

Afirma, também, que a relação com o PMDB e a indicação de Michel Temer para a vice-Presidência da República foi por puro tráfico de tempo de TV, porque Dilma, indicada só por ele, não era conhecida por ninguém – subentende-se o fechar os olhos para ladroagem dessa gente. Oras, Lula afirma que pediu a todos para tomarem veneno tentando curar a doença que ele próprio inventou – com todo respeito a ex-Presidente Dilma Rousseff. Surreal!! E ainda, sem qualquer descaramento, diz que ninguém avisou que Temer seria o que sempre foi. Não é verdade Lula, Ciro Gomes te avisou e isto é público.

Mas esse desespero de Lula é fruto das movimentações do PDT, não há dúvidas. Para além das críticas que Ciro Gomes sempre apresenta, nas últimas semanas duas notícias atingiram o líder petista. A primeira, uma surpresa, é que em pesquisa (Instituto GPP) realizada na cidade do Rio de Janeiro a Delegada Martha Rocha, do PDT, aparece em segundo lugar, atrás somente de Eduardo Paes/DEM e seguida por Marcelo Freixo, PSOL e Marcelo Crivella, Republicanos e atual Prefeito – aqui não há nenhum nome petista cogitado. E, a segunda, são as conversas que a ex-prefeita Marta Suplicy mantém com o PDT de SP para assumir a cabeça de chapa dos trabalhistas. Marta, em todas as pesquisas, é sempre apontada pelos paulistanos como a melhor gestão da Prefeitura, qualidade que o próprio assume na entrevista – em claro detrimento da gestão de Fernando Haddad, seu sucessor na corrida presidencial em 2018.

Lula tem plena consciência que o eixo Sul/Sudeste é preponderante para a formulação de uma coalisão nacional visando a próxima eleição presidencial e o PT está sendo massacrado na região. Ao mesmo tempo, sabe que as eleições de 2020 darão o quadro político para 2022 e o PDT não pode se consolidar como máquina partidária protagonista do campo progressista e principal opositora do desastre do Governo Bolsonaro, principalmente nos grandiosos colégios eleitorais paulista e carioca. O ex-presidente, como todos sabem, não pensa em outra coisa além de política, seus gestos e falas são eternas mensagens aos aliados, adversários, inimigos e seguidores e, por esse motivo, esta última entrevista demonstra um Lula preocupado e, em determinados pontos, muito desespero – principalmente quando cobra do seu partido a função de “se defender” -, frente às dificuldades que o PT tem em formular narrativas e estratégias que o tirem do gueto político. Lula está desesperado com as Martas do PDT.

Por Matheus Santos, doutorando em Política Científica e Tecnológica/UNICAMP.

3 Comentários

  • Se não suportou as consequências, não tem como retomar o “protagonismo”. Que volte a formador de bancada e aguarde a próxima geração limpar seus erros, o maior deles a falta de aprendizado por rejeição da autocrítica. Quem avisa amigo é, mas ao tratar alertas como traições, os amigos deixaram-no.

    3

    0

Deixe uma resposta