Diplomacia das máscaras: como o coronavírus derrubou gerações de antagonismo China-Japão

Enquanto a crise do coronavírus levou muitos estados e atores não estatais a se comportarem por seu próprio interesse, vendo a distribuição de máscaras e outros suprimentos médicos como uma espécie de jogo geopolítico de soma zero, outros se empenharam em distribuir suprimentos para aqueles quem mais precisa deles, engajando-se em uma “diplomacia das máscaras” apesar das necessidades em seus próprios países. Por sua vez, a troca de máscaras adquiriu um novo significado de boa vontade. Talvez em nenhum lugar esse ato de boa vontade tenha sido tão pronunciado – e surpreendente – quanto os generosos presentes entre o Japão e a China.

O contraste na resposta global ao surto de coronavírus foi gritante. Enquanto a China criticou os Estados Unidos por suas miseráveis ​​ofertas iniciais de ajuda à China, a Taiwan por cortar as exportações de máscaras para a República Popular da China e a países ao redor do mundo por fechar fronteiras aos viajantes chineses, o Japão foi apoiado por estabelecer um exemplo magnânimo. As entidades japonesas – dos governos central e local, às ONGs e empresas – se uniram em uma causa comum para ajudar seus vizinhos no Mar da China Oriental.

Diplomacia das máscaras como o coronavírus derrubou gerações de antagonismo China-Japão

O governo japonês rapidamente tomou uma ação simbólica, com membros do Partido Liberal Democrático do Japão votando para doar 5.000 ienes (cerca de US $ 45) cada um de seus salários mensais – totalizando 2 milhões de ienes ou US $ 18.170 – para ajudar a combater o surto na China. O governo japonês se baseou nesses esforços enviando milhares de peças de vestuário protetor para Wuhan, enquanto os moradores da prefeitura de Oita – cidade japonesa irmã de Wuhan – também doaram 30.000 máscaras ao epicentro do coronavírus. Outras cidades, incluindo Mito, Okayama e Maizuru, aderiram ao esforço.

Simultaneamente, a empresa japonesa Ito-Yokado doou mais de um milhão de máscaras para a China, enquanto outras empresas, como Maeda Construction, Air Water e MUJI, forneceram suprimentos de proteção. De maneira emocionante, a Associação de Desenvolvimento da Juventude do Japão enviou caixas de máscaras e termômetros estampados com personagens de um poema antigo que dizia: “terras à parte, céu compartilhado”. E, talvez o mais emocionante de tudo, a mundialmente famosa companhia Matsuyama Ballet de Tóquio foi filmada cantando o hino nacional chinês no palco e aplaudindo de longe os espectadores chineses.

Por Cheng Li e Ryan McElveen

Traduzido por Daniel Bispo

Publicado originalmente em: https://www.brookings.edu/blog/order-from-chaos/2020/03/09/mask-diplomacy-how-coronavirus-upended-generations-of-china-japan-antagonism/

Deixe uma resposta