Sérgio Moro entre a chantagem e a destruição de provas

O ridículo por que Moro está passando começa a ser desnudado por boa parte da imprensa. Reinaldo Azevedo chama os ”hackers criminosos” de Araraquara de ”Operação Uruguai”, numa menção à tentativa desastrosa de Collor quando tentou fugir do impeachment justificando suas rendas por meio de uma obscura operação financeira no país vizinho para a qual não havia comprovação nenhuma.

O Presidente da OAB não ficou pra trás. Felipe Santa Cruz chamou Serginho do Mal de ”chefe de quadrilha”. Afinal, o ex-magistrado andou confessando por aí novos crimes e novas estratégias criminosas. Parece que obteve informações de quem teria sido hackeado em uma operação da PF que corre em sigilo. Como? Afinal, ele não é o delegado do caso. Pior ainda, andou dizendo que vai ”destruir as mensagens” encontradas com os supostos ”hackers criminosos”. Mais uma vez, como é que pode!? Ele não é o juiz do caso pra tomar uma decisão dessas, que implica em destruir provas, sem mais nem menos.

Segundo Mônica Bérgamo, Ministros do STF também estão estupefatos com as ações de Serginho do Mal, que parece não se conter quando vê uma regra ou lei e já se coça pra burlá-la na frente de todo mundo. Afinal, somente a Corte Suprema poderia determinar a destruição de provas e escutas envolvendo cidadãos com foro privilegiado.

As críticas vem se espalhando pelo mundo político, com deputados reagindo à tentativa de Moro criar uma cortina de fumaça envolvendo diversos parlamentares, que, por um suposto medo do hackeamento, acabariam por proteger os membros da Força Tarefa.

E assim, esferas da República vem se mobilizando contra mais uma tentativa da República de Curitiba de emparedar as instituições, manipulando a fantasmagoria de um ataque hacker generalizado. O único grampeamento em massa que o país realmente sofreu veio da NSA, durante os governos Dilma-má e Obama. O que se tem agora são autoridades descuidadas sendo chantageadas por uma quadrilha de Araraquara, que sequer sabemos ao certo se estão mesmo por trás da Vaza Jato.

A verdadeira notícia não é esse crime virtual. Mas o conteúdo das mensagens de Moro, Deltan e cia. Elas vão continuar aparecendo, e as vozes contrariadas com a atuação e posição de Serginho deixam claro que o caminho de sua destruição não tem mais volta.

Por André Luiz Dos Reis

1 Comentário

Deixe uma resposta