O PT e o legado de Vargas

De um lado, Lulla-lá repete o discurso de Jessé de Souza sobre a USP, dizendo que a Universidade foi uma reação da elite paulista destronada por Vargas e que criou uma leitura do Brasil e intelectuais orgânicos condizentes com o projeto nacional-entreguista da oligarquia mais poderosa do país.

De outro, o novo Fernando, o Haddad, professor da USP e candidato derrotado a presidente da República, faz um programa no Youtube em que diz que a Era Vargas foi só um ”crescimentismo”, que não desenvolveu o país como no governo Lulla-lá.

Apesar do elogio do novo Fernando, há uma disputa interna ocorrendo no PT, o que explica certa investida lulista contra a USP. Mas isso não é o mais importante. De minha parte, gostaria que o PT se fragmentasse em mil pedaços. Isso só faria bem ao país.

O interessante é cara de pau de Haddad ao pretender comparar o governo Lula com a Era Vargas. Getúlio integrou as massas populares à política, cultura e economia do país como nunca antes ou depois dele se fez.

Chega a ser humilhante para o PT ter de destacar o legado de Getúlio nessa questão. No período Vargas, a identidade do país passou a se referenciar pela cultura popular. A industrialização iniciou um ciclo de aumento de produtividade. A democracia de massas deu voz às classes que eram consideradas incapazes para a ação política. A estrutura sindical e a CLT são monumentos gigantescos de ampliação dos direitos sociais. E o trabalhismo se constituiu na mais poderosa tradição política dos setores assalariados.

Não vou falar da construção do Estado Nacional e das estatais para não humilhar.

Comparado a isso, qual o legado de Lula? Um programa liberal copiado da Escola de Chicago, desindustrialização com consequente queda da produtividade, avanço da terceirização e da concessão de serviços públicos, flexibilização de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, desmobilização dos movimentos populares, projeto cultural e de identidade brasileira nulo.

Vargas tem, dentre outras coisas, a Petrobrás e a CLT pra apresentar como heranças políticas. E são só dois exemplos. Lula tem o Bolsa-Família e o Minha Casa, Minha Vida. Os dois primeiros itens são elementos que revolucionaram a estrutura de trabalho e produção brasileiras. Os itens vinculados ao governo Lula são apetrechos reformistas, assistencialistas e provisórios que não arranham as estruturas econômicas e sociais do país.

E o sujeito ainda diz que Vargas ”deu uma guinada à esquerda nos anos 1950”. É impossível que ele seja burro assim mesmo. Grande parte do legado mais precioso de Getúlio veio no Estado Novo, que o Fernandinho da USP parece detestar.

Getúlio teria nojo da ”esquerda” representada por Haddad, pela USP e pelo PT. Não espanta que a repulsa seja recíproca.

Haddad, para de passar vergonha.

****

Segundo Haddad, a Era Vargas não era ”desenvolvimentismo”, não, era só ”crescimentismo”. Desenvolvimentismo foi criado pelo PT, como vocês podem ver no gráfico abaixo.

Pra quê empregos industriais, com maior produtividade e em setores de maior sofisticação tecnológica, se o povo brasileiro pode trabalhar de camelô, cabeleireiro, vendedor em shopping ou motorista de aplicativo?

 

Por André Luiz dos Reis

2 Comentários

  • Isso é o legado de Lula?? Tenho minhas críticas ao PT, muitas, mas não entendi essa colocação.
    “Um programa liberal copiado da Escola de Chicago, desindustrialização com consequente queda da produtividade, avanço da terceirização e da concessão de serviços públicos, flexibilização de direitos sociais, trabalhistas e previdenciários, desmobilização dos movimentos populares, projeto cultural e de identidade brasileira nulo.”

    1

    2

  • Afinal, quem tem medo de Vargas? O PT seguramente!!! Valeu o artigo, e as comparacoes sao embaracadoras: Vargas ou Lula? E se o PT nasceu justamente p destruir a Era Vargas o que podemos esperar de seus quadros?

    3

    0

Deixe uma resposta