Os 1440 dias de Bolsonaro

O capitão reformado Jair Messias Bolsonaro foi eleito, neste domingo, o 38° presidente do Brasil.

Os adjetivos utilizados neste portal para definir o presidente eleito são bem claros quanto ao posicionamento editorial de oposição. Seguiremos firmes, disparando disparates ao cavalão-presidente.

Em 48 horas como presidente eleito, Bolsonaro anunciou a fusão do ministério da agricultura com o do meio ambiente, desqualificou a indústria e os industriais, terceirizou ainda mais a presidência para o ministro Paulo Guedes e ainda deu umas duas entrevistas eivadas de ressentimento, ameaçando o maior jornal do país. Começou com o pé direito!

Paulo Guedes já menosprezou o Mercosul, causou um mal-estar diplomático e prometeu cortar impostos num Brasil deficitário. Em 180 bilhões. Sem explicar nada, como é de praxe no novo governo.

Os parlamentares governistas também não ficaram para trás. Uma ameaça aos professores aqui, uma proposta de tratar movimentos sociais como terroristas acolá. Os comensais do capitão ameaçaram reitores e a autonomia universitária e ainda arranjaram uns trocados pra Taurus, fabricante de armas (de qualidade duvidosa), que cresceu assustadoramente desde o começo da discussão do armamento civil. A idade média chegou ao poder.

O bloco de oposição parece dividir-se. Por um lado, PCdoB, PDT e PSB querem unir-se para protagonizar a oposição ao regime bolsonarista. O PT reivindica o posto, mesmo confrontado com o antipetismo, que hoje representa não só as elites, mas também grande parte da população brasileira. Se a oposição quiser ser realmente ampla, não pode ser comandada pelo PT. Seria desafiar a lógica.

O Brasil passará os próximos 1502 dias valsando a beira do precipício. Resta torcer para o “pé de valsa” do povo brasileiro. E para o precipício não ser tão alto.

Este espaço se dedicará a oposição democrática, altiva e ativa frente ao governo eleito. É papel do jornalismo fiscalizar o poder e denunciar seus abusos e sua ausência. Este espaço e principalmente, DISPARADA, fará uma oposição do tamanho do projeto que defende. Nacional, emancipatório e desenvolvimentista.

Incansavelmente, durante ou 1502 dias restantes.

E contando.

Deixe uma resposta