ANTONIO NETO: A falsa polêmica contra Márcio França

Por Antonio Neto – A todas e todos os militantes pedetistas e simpatizantes do Projeto Nacional de Desenvolvimento capitaneado por Ciro Gomes e Carlos Lupi, eu, Antonio Neto, um analista de sistemas e orgulhoso filho de berço da luta sindical, venho como presidente do PDT da cidade de São Paulo dizer aos nossos compatriotas que nós temos princípios e não arredaremos nunca nem um mísero milímetro da luta contra o fascismo. A todos aqueles que conhecem a minha história de vida e no movimento sindical, que tiveram a oportunidade de conhecer a bela história de meu pai, eterno lutador do campo progressista e que lutou avidamente contra a ditadura e por ela foi perseguido, venho fazer um apelo para que confiem em nosso trabalho.

É preciso dizer Bolsonaro é apenas mais um operador do sistema, ainda que assuma e goste da alcunha de Anti-Cristo dos costumes, postura a qual denunciamos e continuaremos a denunciar com a veemência necessária como brilhantemente vemos todos os dias com nossos parlamentares e corpo jurídico extremamente atuante. Diferente da direita “comportada”, que com suas promessas de “liberdade” abriu o país para as privatizações desenfreadas e promoveu o maior período de falências de empresas brasileiras, destruindo a nossa indústria nacional, nossos empregos e nos deixando de joelhos para os interesses do rentismo internacional, Bolsonaro é um inimigo autodeclarado, na forma e no conteúdo, de todo o povo brasileiro.

É importante frisar, contudo, que essa direita com formol, que tem em Dória e Covas hoje seus principais representantes, brinca de camaleão, e tal qual uma certa esquerda do passado recente, assume uma faceta supostamente mais amistosa, apesar de carregar consigo o pesado fardo de ser a principal responsável disso que hoje passamos a chamar de bolsonarismo.

Não nos enganemos companheiros e companheiras, nossa luta é para derrotar este sistema perverso! E para isso, precisamos fortalecer a unidade de nosso campo em torno de um projeto de centro-esquerda, que tenha início, meio e fim e tenha em sua substância não apenas o projeto, mas a compreensão de todo o nosso povo para a realização concreta de suas aspirações. Esse projeto nós chamamos de Projeto Nacional de Desenvolvimento.

Em 2018, os inimigos que ajudaram a eleger Bolsonaro conseguiram impedir a aliança entre PDT e PSB. Agora estão criando outras formas para conseguir isso. Temos convicção do compromisso do PSB com o Brasil e com o Projeto Nacional de Desenvolvimento.

Não há dúvida de que a imprensa está colocando casca de banana para construir narrativas contra nós. Em 2018, taxaram o Márcio França de Márcio Cuba. Agora querem vinculá-lo ao Bolsonaro. Nem uma das duas versões são verdadeiras. Também tentaram taxar o Ciro de direita quando ele reconheceu publicamente que o Bolsonaro estava fazendo correto ao transferir os líderes do crime organizado, algo que não foi feito. Também tentaram taxar o PDT de direita quando promovemos a interlocução institucional com o Presidente da Câmara.

Vamos nos blindar e trabalhar pelo PND. Tanto Dória, quanto o PT, querem provocar a nossa divisão porque sabem que, sem a aliança PDT/PSB, os dois ganham. O primeiro reelegendo seu subprefeito e o segundo mantendo a hegemonia para impedir que surja uma alternativa de centro esquerda que os mantém com estrutura parlamentar e para servirem de escada para a direita.

Por Antonio Neto, presidente municipal do PDT da Capital de São Paulo e pré-candidato a vice-prefeito pelo PDT na chapa com Márcio França do PSB.

antonio neto a falsa polêmica contra márcio frança psb pdt são paulo prefeitura bolsonaro

3 Comentários

  • Presidente. Entendo a história do PDT, os princípios, o papel do Bolsonaro como mais um operador do sistema, a imprensa e adversários que rotulam políticos etc. Mas, particularmente, não enxergo estratégia flertar com um governo que é a ante sala do que há de pior na política. Algo que não foi negado nem por MF nem no seu posicionamento aqui no site. Precisamos (não falo pela militância, mas por outros como eu) de clareza. Qual é a estratégia? Qual é o discurso? E qual é a verdade? Um grande abraço pra vc.

    0

    0

  • Lúcido! A tentativa de apresentar falsas narrativas precisa ser denunciada mesmo. Em paralelo, igualmente, a importância de se debater as claras os projetos objetivos – como Roberto Requião vem relembrando sobre o seu governo no PR. É o que Ciro Gomes vem apontando quando busca evitar a ‘rotulagem’ fácil sobre o ‘Centrão’, sublinhando que se precisa debater sobre objetivos, ou seja, o PND. Não se pode ‘naturalizar’ a cultura do ‘cancelamento’ – rotular e cortar vínculos com figuras públicas na política… como tentaram fazer com a suposta ‘aproximação’ de França por conta da visita do presidente à Baixada Santista. Essa tentativa de maniqueísmo, de bipolarização radicalizada é que caracterizou todos os anos de lulopetismo, culminando na sabotagem desavergonhada da candidatura de Ciro Gomes – rejeitando o debate democrático de ideias para oferecer a ‘velha’ alternativa entre ‘civilização e barbárie’. Oras, isso já havia sido feito com Aécio, e o estelionato eleitoral com a crise econômica causada por Levi e as evidências de corrupção (manipuladas ou não) levaram a ‘reação primária’ do antipetismo – uma parcela da população preferiu agir como alguém com dor de dentes e disposto a qualquer gesto para se livrar da dor… Pelo jeito, os elaboradores de ‘narrativas’ não aprenderam nada e seguem na mesma estratégia, dispostos ao paradoxo apontado de partir de Márcio Cuba para Bozo… Devem ser energicamente denunciados por sua mesquinhez!

    0

    0

Deixe uma resposta