A pretensão vislumbrada do Plano Lula para o Brasil

O Lula tem influência do sindicalismo anticomunista do Solidariedade (polonês), endossou uma visão que buscou quebrar as bases do trabalhismo (calcado em Getúlio e Brizola), ao passo que ajudou a enterrar o sindicalismo radical do – já mal das pernas – movimento comunista brasileiro.

Lula fez parte do fenômeno que pautou supostamente um partido de “bases”, na contramão do que seria supostamente verticalmente “autoritário” das tradições mais radicais do sindicalismo (como foram com os comunistas), e para também combater a visão “caudilhesca” do “líder”, coisa comum no nacionalismo trabalhista (na época centrado na figura de Brizola).

Tudo para se por como alternativas a esses dois campos da esquerda brasileira que protagonizaram as lutas e avanços dos trabalhadores brasileiros no século XX.

Se os grandes arautos do “personalismo” seriam o stalinismo comunista (em âmbito internacional), e o brizolismo trabalhista (em âmbito nacional), eis que agora, se fortalece aquilo que se pintou como alternativa a esses “males”, alegadamente dirigido por Haddad, o Plano LULA para o Brasil.

Nem a Coreia do Norte coloca as metas de administração da RPDC como “Plano Quinquenal Kim Il Sung para a Coreia”.

O que caracteriza a visão idílica de alguns petistas, mas do que qualquer coisa, é uma certa auto percepção pretensiosa. Eles realmente não percebem o buraco que eles próprios ajudam a nos meter com esse tipo de tática, e acha que essas atitudes são as mais adequadas dentro do quadro possível.

Eles não notam que foi esse mesmo tipo de pretensão exagerada diante de suas próprias capacidades e de suas próprias disposições de força (de onde até estão dispostos a agir para fazer valer o que pregam, que são, resumidamente, uma posição deliberada de fraquezas e coalizão) que ajudou a alimentar o fenômeno político do bolsonarismo.

Se é verdade que eles não podem ser os únicos responsabilizados, e até se admitíssemos que eles (os petistas) nem sequer são os principais culpados pela ascensão desse fenômeno (o que carece ser melhor discutido), é verdade que ainda assim as atitudes do partido e de boa parte da militância só tiveram como consequências práticas o fortalecimento desse campo reacionário, e não o contrário.

Se você quer meter um “Projeto Lula”, abusar do personalismo que seu partido justamente cresceu em cima de críticas à ele, ao menos tenham a dignidade de serem alternativas à altura.

Qual a projeção?

Acreditar em instituições jurídicas viciadas e na possibilidade de ganhar sua sentença de inocência dentro de um circo de podridão?

Pautar um governo que reproduza a política econômica de Meirelles? Que siga o paradigma do mito do Tripé Macro Econômico? Que tenha como referência a bênção do capital financeiro?

Se for estampar o nome do sujeito logo num programa de governo, chutem logo no pau da barraca e exijam os céus, cobrem o impossível.

O que não dá é essa retórica radicalizada na aparência, personalismo desbaratado, estética de eleitores radicais e com fetiches sobre pobreza, mas com projeções político-econômicas concretas rasas e aquém até de um lunático como Daciolo.

Por isso digo: o Plano Lula para o Brasil, se realmente for levado a sério, poderia ser traduzido como “Morro de vontade de reeleger Bolsonaro em 2022”. Parece ser esse o sonho inconsciente de alguns.

Por Bruno Torres, editor do Jornal A Pátria, conselheiro da Fundação Leonel Brizola em Pernambuco e militante do Movimento Nova Pátria.

A pretensão vislumbrada do Plano Lula para o Brasil

3 Comentários

  • Quanta bobajada!
    Jornal A Pátria, Movimento Nova Pátria?!
    Há algo nebuloso no ar, parecendo algum desses movimentos apoiadores de Boçalnaro e sua turminha destra.
    Enquanto esses “ideólogos” pretensiosos se esmeram em desqualificar de imediato quaisquer propostas do grande inimigo PT, os verdadeiros destruidores da Pátria -para dar uma força ao termo ora empregado – vão se consolidando em suas canhestras posições.
    Mas querer o quê deste PDT atual, né!
    Só isso mesmo.
    E lembrando: Brizola, presente!
    Porém fatalmente indignado com as atuais cretinices pedetistas.
    Risível, se não fosse terrível.

    1

    1

  • artigo esbanja sectarismo da pior qualidade. se, e digo se, o PT deixou marcas (algumas boas outras nem tanto), nenhum outro partido brasileiro nem msm o PTB do Goulart, foi tão fecundo em produzir avanços. se recuos houve, não se negue, foi por que não houve condições necessarias p mais (falta apoio nas casas legislativas, ataque constante e direc,ionado da grande midia e empresarios, forças conservadoras atuantes). querer pnos convencer que o projeto ciro gomes (um camaleão, pra pdizer o minimo) e seu PDT faça a real revoluçção, sem o apoio de todas as forças de esquerda e sociais incluso o PT , LULA e militancias petista e um delirio do articulista. projeto de demagogo.

    0

    0

Deixe uma resposta