O segredo do sucesso da China: comitês de bairro

Enquanto os EUA e a Europa são destruídos pelo surto de Covid-19, a pergunta “Como a China interrompeu o surto e voltou à vida normal?” tornou-se um tópico frequente de discussão. As respostas dos atlanticistas são superficiais: “Eles ocultaram os dados”. A mídia ocidental, que tem mais a perder com o final do “Sonho Americano”, começou a agir como uma espécie de “anti-China”. O fato de 95% das fábricas na China já estarem abertas as enlouquece, especialmente considerando que se espera que 240.000 pessoas morram nos EUA. Bloomberg, CNN e New York Times estão fabricando materiais opostos à China, enquanto sites provocativos na Turquia, como o Independent Türkçe de Nevzat Çicek e Medyascope de Ruşen Çakır, promovem materiais semelhantes. Lamentavelmente, eles nem apareceram no TRT estatal. As teorias da conspiração que demonizam a China e Xi Jinping estão repletas em sites de mídia social como Whatsapp, Facebook e Twitter. Eles escrevem as assinaturas de professores sob teorias da conspiração e usam outras estratégias para espalhar informações falsas.

O segredo do sucesso da China é realmente simples: a orientação de um estado orientado para a ciência, populista e pró-público, completo com uma sociedade bem organizada. A organização e a cultura da disciplina da China foram fundamentais para seu sucesso. Os comitês de bairro na China, por exemplo, foram concebidos como unidades de governo de base e são o instrumento mais direto para as pessoas participarem da governança.

Wang Wenwen, do Global Times, discutiu como os “Comitês de Bairro” funcionam em seu artigo de 31 de março: ”Voltando à minha comunidade residencial depois de algumas compras de supermercado, ajusto minha máscara e enrolo uma manga para expor um pulso nu. ‘Controle de temperatura, passe de residente, por favor’, solicitou o oficial mascarado no portão. Nos últimos dois meses, esse foi o novo normal em Pequim. Ninguém se preocupa com isso. É um imperativo para todos, a fim de proteger a cidade e meu bairro do coronavírus. Todo mundo segue muito bem: se você está doente e com febre, nunca pense em sair e espalhar a doença!”

O que define essa ordem em turnos na entrada do canteiro de obras é o ‘Comitê de Vizinhança’, ‘juweihui- 居委会’. Eles estão na entrada 24/7. Todos eles são voluntários. Eles medem a temperatura de todos e trabalham duro para impedir que a doença se espalhe. Essa ordem foi mantida mesmo no frio congelante de Pequim, em fevereiro, sem problemas.

Os Comitês de Vizinhança vigiaram o povo durante os dias mais difíceis da luta da China contra o vírus. Em alerta contra a possibilidade de uma nova onda de infecção, a linha de defesa mais importante do país são também esses Comitês de Vizinhança. Embora o surto tenha sido interrompido, eles continuam a medir a temperatura das pessoas.

PRESENTE DE MAO ZEDONG

Os Comitês de Vizinhança começaram como bases urbanas nos anos 50. Como unidades de autogovernança do povo, elas foram institucionalizadas pela sugestão de Mao Zedong, fundador da China socialista.

Os primeiros comitês de bairro foram os 200 que se registraram na rua Shangyangshi de Hangzhou logo após o estabelecimento da República Popular da China em 23 de outubro de 1949, e todos foram às urnas eleger o presidente do comitê de bairro. No final da década de 1980, foram estabelecidos comitês de bairro em todas as cidades da China. Os membros dos comitês são eleitos pelos domicílios registrados por três anos. Presidente e Secretário Eleitos são confirmados pelos governos locais. Antigamente, os aposentados eram frequentemente escolhidos para esse cargo, agora existem até presidentes com doutorado. O nível mais baixo de educação é um diploma de bacharel. Os adolescentes costumam ser empregados para vários projetos. A fonte humana mais importante são os voluntários registrados.

As responsabilidades dos comitês de bairro são:

-Instruir os residentes locais sobre a Constituição, políticas e leis,
-Para coletar a assinatura do prédio e do local do prédio, e marcar os documentos,
-Para ajudar a apoiar os direitos legítimos dos residentes,
-Para proteger a propriedade pública,
-Para organizar eventos e entretenimento da comunidade,
-Paz da paz em desacordos de baixo nível,
-Para ajudar a segurança pública,
– Governar a higiene em áreas comuns,
-Cuidado dos idosos e deficientes, educação de jovens e melhoria da seguridade social,
– Trazer as necessidades de sugestões dos cidadãos à atenção do governo.

O presidente do comitê é responsável pela coordenação. Em todo comitê, há um vice-presidente. Cada membro do comitê é responsável por um campo específico. Aqueles a quem são atribuídos esses deveres são instruídos para o governo civil, bem-estar social e apoio.

PERDA DA ESTABILIDADE NOS ANOS 90

O sistema do comitê de bairro ficou enfraquecido e perdeu o controle entre 1992 e 2002, durante um período de enriquecimento rápido e grosseiro. Os crimes econômicos aumentaram e houve interrupções na segurança das cidades durante esses anos. As barras na frente das janelas permanecem daqueles anos como uma lembrança daquele momento no passado.

O modelo de desenvolvimento econômico daqueles anos foi o crescimento orientado para a exportação. No 11º Plano Quinquenal, os comitês de bairro também foram revividos quando o modelo de desenvolvimento voltado para o mercado interno foi adotado.
A partir de 2006, o Partido Comunista da China concentrou-se em melhorar os comitês de bairro. A relação entre modelo econômico e democracia pública é objeto de outro artigo.

IMPACTO PROFUNDO PARA AS PESSOAS

Desde que Xi Jinping foi eleito Secretário Geral do Partido Comunista da China, houve grandes esforços para melhorar as organizações de base. O presidente Xi define organizações de base como os fundamentos do socialismo com características chinesas. Xi Jinping disse o seguinte durante uma discussão com a delegação de Xangai na reunião anual do Congresso Nacional do Povo e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, em Mach 5, 2014: “Sem uma base sólida, a terra treme e as montanhas se movem. O foco da governança social deve estar no urbano e nas comunidades. Quando os serviços comunitários e os recursos de gerenciamento são aprimorados, as comunidades se tornam mais estáveis. A estabilidade real na China depende de nossos camaradas que estão trabalhando no nível de base.”

Há um velho ditado chinês que diz: “Sem uma base sólida, a terra treme e as montanhas se movem”. O presidente Xi cita frequentemente provérbios e clássicos chineses, como Mao antes dele.

O Secretário Geral do Partido Comunista da China fez esta chamada às organizações de base:

O primeiro é o carinho pelo povo. Para fortalecer nossos sentimentos em relação às pessoas, é necessário ter um profundo carinho por elas enquanto conduzimos nosso trabalho. As preocupações das pessoas devem ser as nossas preocupações. As preocupações das pessoas devem ser as nossas preocupações. Devemos enfrentar as dificuldades que atormentam as pessoas e nos esforçar para realizar as esperanças que elas acalentam. Somente então poderíamos fazer um trabalho melhor nesse sentido nas comunidades. Podemos ver facilmente a partir de seus bons exemplos que, quando você mostra mais calor às pessoas, elas respondem com mais carinho e, quando você faz mais pelo bem-estar das pessoas, elas têm mais confiança em você. O segundo é olhar as coisas na perspectiva das pessoas. Ao realizar trabalhos em massa, devemos sempre manter a firme posição política que o Partido é construído para servir aos interesses do povo e governar em seu nome. Enquanto colocarmos as pessoas em primeiro lugar e aderirmos à linha de massas, fazer um bom trabalho de massa nunca será tão difícil. Terceiro, os interesses do povo. Devemos efetivamente compreender, salvaguardar e desenvolver os interesses do povo. Seus interesses devem ter precedência ao aprofundar reformas, promover o desenvolvimento e manter a estabilidade. Devemos sempre lembrar as dificuldades do povo, especialmente aqueles cujas situações são mais graves e tentar resolver problemas e dificuldades reais.”

MOBILIZAÇÃO CONTRA O SURTO

Os comitês de bairro vêm do próprio povo há décadas e têm sido as menores unidades governamentais a fornecer ordem e governança na disciplina. Os mais de 50 anos de experiência dos comitês foram ativados quando a ameaça do COVID-19 surgiu. Isso preparou o cenário para as pessoas mostrarem suas notáveis ​​habilidades de mobilização. O segredo foi a grande disciplina e mobilização de mão-de-obra dos comitês de bairro, que garantiram que 98% dos 11 milhões de habitantes de Wuhan fossem submetidos a exames médicos. Eles atendiam às necessidades alimentares diárias de pessoas que não podiam sair de casa uma a uma. A maioria dos edifícios em Wuhan são antigos e não possuem elevadores. Teria sido impossível transportar materiais por escadas sem comitês de bairro e voluntários. O trabalho dos comitês de bairro em Jiangsu foi noticiado pela imprensa chinesa. Eles bateram na porta de todas as casas para garantir que toda a população tivesse acesso à saúde e higiene básicas. Dado o fato de conduzirem esse trabalho sob o risco de adoecer, foram elogiados pela sociedade. Os presidentes das comissões de bairro observam que recebem em média 600 ligações telefônicas por dia.

CONCLUSÃO

Os comitês de bairro ajudam a dar uma sensação de pertencer a uma nação e a proporcionar uma sensação de segurança aos cidadãos chineses. Esses comitês informam às pessoas que elas têm alguém para consultar quando elas precisam. O trabalho oportuno, cuidadoso e dedicado dos comitês de vizinhança ajudou a manter o distanciamento social durante o surto e diminuiu o grau em que as pessoas precisavam se mover significativamente, e, portanto, impediram a propagação do vírus. A China provou mais uma vez a sabedoria do ditado: “o povo organizado não pode ser derrotado!”

Por Adnan Akfırat, membro do Departamento de Relações Internacionais do Partido Patriótico da Turquia; Presidente da Associação Turco-Chinesa de Desenvolvimento de Negócios e Amizade (Turk-Cin Is Der); pesquisador visitante do Centro de Estudos Turcos da Universidade de Xangai e do Centro de Pesquisa da Rota da Seda da Universidade Shihezi. Akfirat vive em Xangai desde 2011.

Publicado originalmente no Defend Democracy Press.

Traduzido por Daniel Bispo.

o segredo do sucesso da china comitês de bairro

 

Deixe uma resposta