O silêncio de PT e PSOL sobre Cid Gomes é uma vergonha histórica

“Se fere minha existência, serei resistência!” “Ninguém solta a mão de ninguém!” “Frente ampla contra o fascismo!” – Grande parte da esquerda brasileira tornou-se uma verdadeira agência publicitária de slogans sobre “resistência” para candidatos parlamentares. Todo o discurso montado para as lives de Facebook, Instagram e Twitter de “líderes” partidários e de movimentos sociais é baseado na coragem retórica de repetir incessantemente que haverá “resistência”. Quando Cid Gomes saiu pelas ruas de Sobral unindo a população contra a violência de um grupo armado que ameaçava comerciantes, essa esquerda ficou em silêncio. Seus slogans só podem ser usados em suas próprias campanhas.

O PT soltou uma nota envergonhada em apoio a… Camilo Santana!!! O governador do Ceará que é… do PT!!! Desejaram de forma protocolar a recuperação do senador cearense que levou dois tiros de policiais amotinados! Imagino o constrangimento e inveja dos histriônicos líderes petistas que não têm coragem de sair na rua para confrontar bolsonaristas desarmados, imagine para enfrentar policiais que estavam aterrorizando a população. O professor da USP, Fernando, não o Henrique, o Haddad, gritou histérico no aniversário do PT: “Vamos botar esses fascistas pra correr!”. Cid Gomes botou os fascistas pra correr em Sobral e recebeu uma palavra lacônica de solidariedade do poste de Lula na eleição de 2018 que apenas copiou os termos da nota do PT assinada por Gleisi Hoffman. Lula manteve-se em um silêncio gritante.

Flávio Dino, do PCdoB, com seu discurso de “Frente Ampla contra o fascismo”, que não passa de fazer insistentes elogios, nunca retribuídos, a Luciano Huck, não deu uma palavra em solidariedade a um aliado nordestino que enfrenta FISICAMENTE o bolsonarismo e o violentíssimo corporativismo policial, problema que assola toda a região. Manuela D’ávila que aceitou ser vice do vice do PT aparentemente também não vê nada de resistência no enfrentamento a policiais amotinados. Justiça seja feita a vice-governadora de Pernambuco e presidente do partido, Luciana Santos, que se manifestou no Twitter e também Orlando Silva, deputado em São Paulo, que prontamente se indignou com o atentado a Cid Gomes.

O que dizer do PSOL? Partido do sectarismo radical, contrário às alianças institucionais, defensor do protagonismo dos movimentos sociais, da “democracia de bases”, que inclusive atropela essas bases para impor um candidato externo à militância partidária. Nenhuma palavra de Guilherme Boulos, herói das ocupações e do enfrentamento direto com a classe dominante e seu braço armado estatal? Também não se tem notícia do “Exército de Stédile” no confronto com o motim de policiais no Ceará.

As acusações de “divisão da esquerda” feitas por esses grupos contra Ciro Gomes e o PDT tornam-se absolutamente ridículas diante de um fato dessa magnitude. Aliás, a ingratidão e falta de solidariedade dos petistas e aliados com Ciro e seu irmão em um momento desses é da mais pura pusilanimidade. Ciro e seu grupo político ajudaram Lula e o PT em todos os momentos difíceis.

Na crise do mensalão, enquanto petistas pediam a “refundação do PT”, o ministro Ciro Gomes e o presidente da Câmara Aldo Rebelo foram os mais corajosos defensores de Lula contra o golpismo tucano. Ciro apoiou o PT em todas as eleições até 2014, mesmo avisando ainda em 2013 que Dilma corria sério risco de cair se não mudasse sua forma de governar e sua política econômica. Em 2015, Ciro e Cid foram os primeiros e os mais agressivos políticos a denunciarem o golpe contra Dilma. Cid foi demitido do governo por chamar Eduardo Cunha de achacador!!! Em 2016, Ciro propôs levar Lula para uma embaixada diante da prisão arbitrária que viria, e apoiou a candidatura desastrosa e derrotada no primeiro turno de Fernando Haddad à reeleição em São Paulo.

Em 2018, Ciro legitimamente foi candidato a presidente com um programa nacionalista e desenvolvimentista, totalmente isolado por Lula e por Temer que articularam o afastamento tanto do PSB como do centrão do candidato que tinha as melhores expectativas de voto contra Bolsonaro. Diante de tudo isso, Ciro é que divide a esquerda?

De volta ao que interessa. A Polícia Militar do Ceará enfrenta há anos reivindicações salariais. No entanto, é proibido aos agentes de segurança pública realizarem greve, pois são servidores armados e não podem usar esse poder militar para obter seus interesses corporativos. Mesmo assim, o governo do Ceará negocia com os grevistas. Porém, não satisfeitos, grupos de policiais invadem batalhões, furam pneus de viaturas, fazem bloqueios nas ruas, e em Sobral circularam mascarados de armas em punho ameaçando a população. Tudo isso, apoiados por parlamentares bolsonaristas de oposição ao governo estadual, entre eles o candidato a prefeito de Fortaleza e deputado estadual Capitão Wagner.

Diante disso, o senador Cid Gomes, ex-governador do Ceará e ex-prefeito de Sobral, saiu de Fortaleza e foi para sua cidade natal organizar a resistência da população contra a violência desse grupo de policiais. Ele discursou em cima de um carro no aeroporto. Circulou pela cidade tranquilizando a população de que não ficariam sem segurança e nem seriam mais ameaçados.

O silêncio de PT, PSOL e PCdoB sobre Cid Gomes é uma vergonha histórica 2

 

Por fim, foi até um batalhão invadido por amotinados mascarados e armados negociar a retirada deles do local. Eles se recusaram a sair pacificamente, e o senador tomou um soco na cara durante a negociação.

O silêncio de PT, PSOL e PCdoB sobre Cid Gomes é uma vergonha histórica 2

Então, eis que um ex-governador, ex-ministro, e senador, desarmado, subiu em uma retroescavadeira para derrubar o portão e debelar o motim. Os amotinados, um bando armado em violação ao art. 5º da Constituição Federal, que proíbe manifestações com armas, responderam com tiros e atingiram Cid Gomes no peito com balas calibre .40. Felizmente ele já está em recuperação e sem risco de morte.

Diante da resistência retórica, Cid Gomes mostra o caminho do enfrentamento real. Momentos radicais exigem atitudes radicais. No entanto, o radicalismo e o sectarismo não são mais problemas teóricos da esquerda como no passado. São apenas táticas eleitorais. Frases de efeito bonitas para colocar nas legendas de fotos de punho estendido em manifestações em casas noturnas frequentadas pela classe média do Rio de Janeiro.

13 Comentários

  • Cara vocês nem se preocuparam em ir checar as páginas dos partidos e lideranças pra escrever esse texto. Muito massa, Disparada do Movimento Estudantil a comunicação só servem para minar unidade, diálogo e frentes de atuação!

    1

    4

  • Infelizmente, o próprio Ciro Gomes, ao invés de buscar um diálogo e união da esquerda, sempre atacou esses partidos políticos. Agora, quer que eles, que são atacados quase todos os dias pelo Ciro, se pronunciem em apoio ao Cid Gomes. Fui eleitor do Ciro no primeiro turno; jamais votarei em partido de direita, mas não compactuo com os ataques que Ciro faz à esquerda. É hora dele deixar esse ranço e começar a costurar um acordo, visando as eleições de 2022. Se a esquerda não dialogar e se unir, a direita o fará.

    1

    6

  • Tô querendo acha a fake news, influência da vice precidente é zero.
    E agora descobrimos, que discordar retórica demagoga e politiqueira é um ataque ao sentimento de esquerda.
    Cresção, por favor.

    0

    5

  • PCdoB repudia ataque a Cid Gomes e cobra punição
    Presidenta nacional do partido e parlamentares comunistas se solidarizaram com senador

    por André Cintra
    Publicado 20/02/2020 10:11 | Editado 20/02/2020 11:50

    Dirigentes e parlamentares do PCdoB repudiaram o ataque sofrido nesta quarta-feira (19), em Sobral (CE), pelo senador Cid Gomes (PDT-CE). Ele foi baleado enquanto dirigia um trator na direção de um batalhão da Polícia Militar que fazia uma paralisação ilegal – a Constituição veda a realização de greve de policiais.

    “Minha solidariedade ao sen Cid Gomes, diante da deplorável agressão à bala q sofreu de alguns PMs amotinados q, durante o dia, aterrorizaram a cidade de Sobral circulando, encapuzados, em viaturas oficiais. Que o senador se recupere o mais breve e os responsáveis sejam punidos”, registrou, no Twitter, a presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, vice-governadora de Pernambuco.

    A nova líder do PCdoB na Câmara Federal, deputada Perpétua Almeida (AC), também se manifestou nas redes sociais. “Nada justifica os tiros no @senadorcidgomes. Se encapuzados se valem de uma greve de polícia para abrir fogo contra um senador, imagina do que são capazes contra a comunidade. Mais uma prova de q o Brasil não está normal”, tuitou Perpétua.

    Na opinião do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), é “absurdo” o que ocorreu em Sobral. “Para tudo há limites. Uma greve armada? Inaceitável! Nossa solidariedade ao senador @senadorcidgomes e ao povo sobralense e de todo o Ceará”. A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da Minoria na Câmara, também se solidarizou com Cid Gomes e classificou como “muito grave” o episódio. “Situação complicadíssima na cidade de Sobral (…). Motim, toque de recolher, ‘milicianos’.”

    No Ceará, o ex-senador e atual Secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado, Inácio Arruda, também se manifestou sobre o assunto. Em sua conta no Twitter, Arruda externou sua solidariedade ao senador Cid Gomes bem como ao governador Camilo Santana “para enfrentar com firmeza e tranquilidade a delicada situação das manifestações dos agentes de segurança”.

    Boletim médico divulgado às 8h40 desta quinta-feira informa que Cid deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital do Coração de Sobral e foi transferido para a enfermaria. “Após atendimento inicial, [o estado de Cid] evoluiu sem intercorrência nas últimas horas, mantendo-se hemodinamicamente estável e com padrão respiratório normal”, diz o texto.

    Matéria atualizada às 11:48, do dia 20.01.2020, para inserir mais informações.

    0

    0

  • Melhor se informar mais, em relação ao posicionamento do PCdoB em relação a tentativa de assassinato do Senador Cid Gomes, antes de sair falando besteiras ou fake! Segue novamente a posição do PCdoB:PCdoB repudia ataque a Cid Gomes e cobra punição
    Presidenta nacional do partido e parlamentares comunistas se solidarizaram com senador

    por André Cintra
    Publicado 20/02/2020 10:11 | Editado 20/02/2020 11:50

    Dirigentes e parlamentares do PCdoB repudiaram o ataque sofrido nesta quarta-feira (19), em Sobral (CE), pelo senador Cid Gomes (PDT-CE). Ele foi baleado enquanto dirigia um trator na direção de um batalhão da Polícia Militar que fazia uma paralisação ilegal – a Constituição veda a realização de greve de policiais.

    “Minha solidariedade ao sen Cid Gomes, diante da deplorável agressão à bala q sofreu de alguns PMs amotinados q, durante o dia, aterrorizaram a cidade de Sobral circulando, encapuzados, em viaturas oficiais. Que o senador se recupere o mais breve e os responsáveis sejam punidos”, registrou, no Twitter, a presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, vice-governadora de Pernambuco.

    A nova líder do PCdoB na Câmara Federal, deputada Perpétua Almeida (AC), também se manifestou nas redes sociais. “Nada justifica os tiros no @senadorcidgomes. Se encapuzados se valem de uma greve de polícia para abrir fogo contra um senador, imagina do que são capazes contra a comunidade. Mais uma prova de q o Brasil não está normal”, tuitou Perpétua.

    Na opinião do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), é “absurdo” o que ocorreu em Sobral. “Para tudo há limites. Uma greve armada? Inaceitável! Nossa solidariedade ao senador @senadorcidgomes e ao povo sobralense e de todo o Ceará”. A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), líder da Minoria na Câmara, também se solidarizou com Cid Gomes e classificou como “muito grave” o episódio. “Situação complicadíssima na cidade de Sobral (…). Motim, toque de recolher, ‘milicianos’.”

    No Ceará, o ex-senador e atual Secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Estado, Inácio Arruda, também se manifestou sobre o assunto. Em sua conta no Twitter, Arruda externou sua solidariedade ao senador Cid Gomes bem como ao governador Camilo Santana “para enfrentar com firmeza e tranquilidade a delicada situação das manifestações dos agentes de segurança”.

    Boletim médico divulgado às 8h40 desta quinta-feira informa que Cid deixou a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital do Coração de Sobral e foi transferido para a enfermaria. “Após atendimento inicial, [o estado de Cid] evoluiu sem intercorrência nas últimas horas, mantendo-se hemodinamicamente estável e com padrão respiratório normal”, diz o texto.

    Matéria atualizada às 11:48, do dia 20.01.2020, para inserir mais informações.

    1

    0

  • Concordo com o amigo logo acima em partes, e discordo plenamente sobre Ciro fazer os gostos de Lula, Ciro Gomes ajudou o PT até 2014 fez de tudo para ajudar o partido e nunca foi reconhecido por tal aí quando ele resolve fazer oposição ele não presta? Na minha opinião Lula usou a campanha de 2018 de má fé, ele sabia que nunca poderia ser candidato, aí não apoiou Ciro ao contrário fez pacto com alguns governadores e partidos para manchar a candidatura de Ciro Gomes, na verdade ele tem medo de Ciro se tornar tão grande quanto ele foi como político, aí agora o PT fica achando ruim as investidas de Ciro, homi pela fé vão trabalhar a imagem de vocês que está suja tente melhorar suas propostas, detalhe o Lula hj só segura como cabo eleitoral pq ele nunca mais poderá ser candidato aí vai ficar usando desculpas e nas vésperas das eleições ele diz que estão perseguindo ele, aí diz vote aqui no meu candidato, e a mesma coisa que ser “eu” vamos melhorar essa política.

    5

    0

  • Alguém poderia postar a nota do PDT e do Ciro Gomes sobre o atentado?

    0

    0

  • É inaceitável o que estes direitista estão fazendo
    Os agentes públicos que deveria cumprir seus trabalhos nos quais propuseram a exercer que é manter a ordem provação a pior desordem dos tempos e contra o povo
    Cid Gomes homem que elegeram no Ceará
    É alvejado por tiro em defesa do povo cearense
    Policiais que reivindica direito teria direito mesmo que a lei não permita
    Mas ultrapassar cometendo desordens como ocorrido faz deste impróprio para o cargo que despuseram a fazer
    São pessoas que estão politicamente ligadas a um presidente desordeiro e que destorce nas ocasiões para defamar um governo oposto a seu
    Muitos deste o acompanha porém e desastroso as atitude tomadas por estes
    Sejamos mais convenientes
    Lutar e divino extrapolar e cruel
    E a crueldade é irracional

    1

    0

  • Não me escapou a ironia de o sr. Luiz sentar a bunda na cadeira para escrever um artigo criticando os ativistas de twitter que não tiram a bunda da cadeira. Vocês querem mais Cid Gomes partindo para o conflito e tomando tiro por vocês, mas não querem partir para o conflito vocês mesmos, é isso?

    0

    0

Deixe uma resposta