GILBERTO MARINGONI: Sócia oculta da Lava-Jato

Apesar de óbvio, não é evidente. Há uma sócia oculta nos diálogos travados entre a equipe de Deltan Dallagnol sobre as conversações entre o ex-presidente Lula e sua sucessora Dilma Rousseff, em março de 2016.

Toda a operação golpista dos procuradores – e esta mais do que as outras – necessitava de ampla divulgação com ares de escândalo para se concretizar. Sem isso, as ações de Moro e sua malta teriam poucas consequências práticas.

É aqui que entra a rede Globo, parceira fundamental e quase representante oficial da Lava Jato perante a opinião pública.

Sem o Jornal Nacional e seus cenários virtuais de jorros de dinheiro em tubulações hiperrealistas, a LJ teria alcance reduzido. O vazamento de Moro, um mês antes da votação do impeachment, foi feito num horário para que entrasse no mesmo dia no noticiário televisivo.

Sem a associação Moro-Marinhos, dificilmente o golpe teria sucesso.

É óbvio. Mas convém repetir.

Por Gilberto Maringoni.

1 Comentário

Deixe uma resposta