A social-democracia e o trabalhismo

No fim do século XIX e no início do século XX, começou a surgir na Europa uma vertente da Internacional Socialista que apelava para uma visão mais democrata e descentralizadora. O Partido Trabalhista Inglês, um dos maiores expoentes dessa visão de sociedade ganhou bastante força no Reino Unido. No Brasil, o Trabalhismo foi uma coisa diferente, apesar de hoje em dia as pessoas colocarem o Trabalhismo e a Social Democracia como a “mesma coisa”, os dois tem uma grande diferença.

O Trabalhismo Brasileiro tem suas raízes por volta do Século XIX também, com Júlio Castilhos no Rio Grande do Sul, entre seus ideais estava a defesa de um estado mais forte, o nacionalismo cultural (valorização da cultura nativa) e o republicanismo. Após isso, por volta de 1920, um grupo de intelectuais começou a influenciar um dos grandes símbolos do século XX, Getúlio Vargas, com ideais castilhistas e com a Doutrina Social da Igreja. Alberto Pasqualini, San Tiago Dantas e etc. chamariam essa Doutrina que agrega os dois elementos de Trabalhismo Brasileiro, o qual foi o Norte do governo do Estado Novo, que criou a CLT, as estatais e fortaleceu a indústria de base.

Após a deposição do Estado Novo, Getúlio Vargas volta ao poder na década de 50 com uma visão mais progressista e democrata. Como algumas das suas frases na época mostram, Getúlio começou a ser influenciado pelo Socialimo Cristão (apesar do mesmo ser ateu, o nome Cristão é apenas atribuído a doutrina). Após o seu suicídio, o PTB, seu partido, influenciado por Leonel Brizola e João Goulart, teve uma guinada a esquerda, baseado nas escrituras de Vargas. O Trabalhismo Brasileiro foi somado a Social Democracia, formando mais tarde o Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Durante o regime militar, época em que o PDT foi formado, esse partido se aliou com grupos de resistência, majoritariamente comunistas, o que levou a uma influência de esquerda sobre o Trabalhismo Brasileiro, formando assim o conhecido “Novo Trabalhismo”, atualmente pregado pelo PDT. O Trabalhismo não só defende o Estado de bem estar social, como também a defesa da pátria e da nação, da soberania nacional, da valorização cultural e da autodeterminação do povo brasileiro.

Por Breno Vellozo

Deixe uma resposta