Tabata Amaral anuncia que vai entrar na justiça para sair do PDT

A deputada federal Tabata Amaral acaba de anunciar em entrevista no Roda Viva da TV Cultura que irá entrar na justiça eleitoral para sair do PDT e manter o mandato.

Tabata disse que faz parte de um grupo de deputados ligados a movimentos de renovação política que irão pedir seus mandatos. De acordo com a deputado eles estariam sofrendo perseguição de seus partidos por terem votado a favor da Reforma da Previdência.

A deputada disse que amanhã, terça-feira (15/10), o grupo irá dar uma entrevista coletiva anunciando as ações da justiça eleitoral conjuntamente, apesar dos processos serem individuais.

Ela disse que ainda não conversou com nenhum partido, e que procurará os partidos após a decisão judicial para decidir qual teria o melhor espaço para ela e os outros deputados ligados aos movimentos de renovação política.

Os movimentos a que a deputada refere-se são o Acredito e o Renova BR. São grupos que recebem financiamento empresarial para “treinar” novas lideranças políticas para entrarem nos partidos e disputarem eleições substituindo a chamada “velha política”.

Entre os financiadores e organizadores desses movimentos estão o apresentador da TV Globo Luciano Huck e a Fundação Leman, do mega-investidor Jorge Paulo Lemann, considerado pela revista Forbes o segundo homem mais rico do Brasil.

De acordo com a deputada ela não tem mais vida partidária no PDT, cujos dirigentes abriram procedimento disciplinar contra ela e os outros deputados dissidentes.

O PDT e o candidato presidencial Ciro Gomes apresentaram uma proposta de Reforma da Previdência nas eleições de 2018, no entanto a emenda constitucional apresentada pela equipe econômica do governo Bolsonaro foi considerada nefasta pelo partido. A reforma proposta pelo ministro Paulo Guedes prejudicava os mais pobres e mantinha privilégios para diversas corporações como os militares. Dessa forma, a direção do partido reunida com as bancadas do Congresso Nacional fecharam questão contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro.

O mesmo ocorreu com o PSB, do deputado Filipe Rigoni que é colega de movimento da deputada pedetista. Os dois e outros deputados votaram a favor da proposta do governo e respondem procedimentos em seus partidos. Eles atuam como um grupo relativamente unido na Câmara dos Deputados e buscam negociar a ida conjunta para outro partido.

4 Comentários

  • Correção: Tábata Amaral votou a favor da reforma. Além disso, afirmar que a reforma tira direitos dos mais pobres é retórica demagógica.

    0

    2

  • Tenho muito respeito e admiração pela Tábata Amaral, do mesmo modo que tenho pela Marina Silva. São pessoas honestas, preocupadas com o futuro do Brasil, qualificadas e trabalhadoras. Contudo, torço para que a Justiça Eleitoral dê ganho de causa para o PDT, não para Tábata. Ele votou contra a orientação do partido. Se confia tanto que isso é o caminho correto para renovar a política, peça as contas, fique militando pela educação sem mandato, procure uma partido adequado a seu perfil e dispute o pleito seguinte.
    Ela tá jovem. Tem tempo suficiente para realizar muitas coisas boas na política.
    Esse seria o caminho da coerência.

    2

    1

  • Votei nela e ainda pedie e ganhei pelo menos uns dez pra ela, não voto mais,pois traiu há tds,saia do partido, vai pro governo e pronto

    1

    0

Deixe uma resposta