GILBERTO MARINGONI: Terrorismo humanitário

O que está sendo montado para amanhã (23) em dois pontos de fronteira da Venezuela (Colômbia e Brasil) e em Curaçao é uma provocação em busca de cadáveres. Um enfrentamento justificaria um violento revide externo. Um terrorismo humanitário.

É preciso olhar com cuidado as notícias do tiroteio que teria matado duas pessoas e ferido 15 próximo à fronteira com o Brasil na manhã desta sexta. É preciso ver o que aconteceu e em que condições.

Há um show midiático em curso. Um governo que planeja construir um muro e praticamente fechar a fronteira com o México é o mesmo que pressiona pela abertura forçada das bordas venezuelanas.

O Brasil – através dos milicianos que ocupam o Planalto – está atuando na estrita defesa de um ato de rapina imperial, do qual não ganhará nada. Nem mesmo migalhas de um esperado butim.

Mais do que nunca, é hora de retomar uma das mais tradicionais bandeiras da esquerda: a intransigente e inegociável bandeira da paz.

Por Gilberto Maringoni

Venezuela maduro terrorismo humanitário

1 Comentário

  • Portal Disparada é uma das mais gratas surpresas que me foram proporcionadas pela web.

    0

    0

Deixe uma resposta