Theresa May vence voto de desconfiança proposto por Jeremy Corbyn

Após a derrota da votação sobre sua proposta de acordo com a União Europeia para o Brexit, Theresa May venceu a votação da moção de desconfiança do líder trabalhista Jeremy Corbyn, por um placar de 325 a 306.

A votação contra o acordo do Brexit foi 432 contra e 202 a favor, o que deu fôlego para a oposição tentar derrubar o governo em crise devido a insatisfação no próprio Partido Conservador com a primeira-ministra. No entanto, apesar de muitos membros do Partido Conservador serem contra o acordo proposto por Theresa May por o considerarem muito submisso às exigências da União Europeia, eles não pretendiam correr o risco de perder o governo para uma nova coalizão parlamentar ou mesmo para eleições gerais que poderiam favorecer o Partido Trabalhista que hoje é liderado por sua ala da esquerda populista de Jeremy Corbyn.

O Partido Democrático Unionista, ultraconservador e aliado do governo, também anunciou que votaria em favor de Theresa May. Além disso, é possível que até mesmo representantes trabalhistas contrários à política populista de Jeremy Corbyn na liderança de seu partido tenham votado contra a moção de desconfiança para não fortalecer o líder de esquerda. Isto porque Corbyn vem ganhando força e legitimidade através de suas propostas radicais de enfrentamento à hegemonia do capital financeiro e desmonte do Estado de Bem Estar Social inglês que também foram levados a cabo pelas alas moderadas do Partido Trabalhista desde os anos 1990.

No entanto, a forma de lidar com o Brexit é o centro do debate. Theresa May acusa Corbyn de não ter uma alternativa ao acordo que ela costurou com os representantes europeus para a saída do Reino Unido da União Europeia, e o líder trabalhista aventava a possibilidade até de um novo plebiscito. Desse modo, o Partido Conservador, e outros setores do Parlamento, escolherem por manter May no cargo sob a exigência de produzir outro acordo mais favorável para o Reino Unido.

Deixe uma resposta